No mundo atual, o consenso sobre a necessidade de qualificação exige a precisão e a definição do sistema de participação geral nas competições mensais que estão ocorrendo no momento, que são Assinatura do Mês, Avatar do Mês, Foto no Mês, Poesia do Mês, Desenho do Mês, Música do Mês e Game do Mês.

19 de Agosto, 2018, 09:08:27

Autor Tópico: O Problema da Sociedade e Você  (Lida 318 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

O Problema da Sociedade e Você
: 26 de Outubro, 2016, 04:30:32

Todos nós passamos por isso, e isto é inerente ao ser humano. Neste caso, no meu especificamente tenho percebido de certa maneira quanto sou deslocado em não seguir tendências de grupos cada vez mais, e como sempre tive um espírito solitário e solidário ao mesmo tempo flexível para entrar e sair. Entretanto, venho me sentindo de certa forma mais melancólico e mais isolado na medida que o tempo foi passando, se me aprofundo em algo posso levar um atestado de inconformado e ao "fracasso" de acordo com as metanarrativas sociais. E ainda pior, sofro as consequências, assim como outros deslocados como eu também venham ocorrer.

Percebemos que o modo como tem vindo na internet e as tecnologias vem alterando as formas de relações humanas e estruturas sociais, entretanto, o que é base e inerente do ser humano persiste, talvez como espécie não tenha o mesmo tipo de evolução.

Assim, pergunto-me qual o significado de fórum que temos hoje ao qual já tivemos outros tempos atrás. Até mesmo influencia na vontade e ociosidade no que abordamos. Estamos tendendo a seguir uma maioria até no fazer de sínteses das mais breves e simples compostos redundantes para exprimir ideias, e ao consumo de satisfação que diminua a distância para um breve espaço de tempo?

Talvez nunca antes visto estejamos passando por novos paradigmas, e o que vem pela frente pode despertar diversas visões diferentes. Então ocorra as mais diversas consequências biopsicossociais no ser humano. 

Por seguinte, temas como trouxe no meu último tópico abordando sobre Posição Política parece desencorajador pelo que estejamos passando por agora. Por isso coloquei um anexei a seguir um vídeo bem interessante e reflexivo, o que me trouxe certo alívio, e por ele leva outros links da mesma forma interessante. Sobre o vídeo ele trás um resumo também interessante de algo bem mais complexo, digo de certa forma assim por eu ser estudante de tais temas abordados, mas acho que se você for até o final vai parar pra pensar, e no mínimo vai soar um "puts".





Bem, adoraria falar muito mais, mas cada vez tenho me sentindo cada vez mais impotente e sem motivação para tal, e acho que isso pode ser um dos motivos possíveis. Então comente o que achou:

Re: O Problema da Sociedade e Você
Resposta #1: 27 de Outubro, 2016, 00:18:36
  • Jungon Masculino

  • Dono do Café
  • Administrador
  • Deus
0
0
O problema é que não estamos lá lutando pra aprovar a PEC da professora de 78 anos que economiza 700 milhões cortando gastos dos políticos e do "setor de corrupção"
*Jungon* kawaii lover ^__^ if I was a rich girl, nanananananananananananananana.. ♫







Dai-Yoh, meu sentai :3 Episódio novo quando eu puder voltar a escrever... i.i

Re: O Problema da Sociedade e Você
Resposta #2: 27 de Outubro, 2016, 05:11:42
1
0
O problema é que não estamos lá lutando pra aprovar a PEC da professora de 78 anos que economiza 700 milhões cortando gastos dos políticos e do "setor de corrupção"

Quando se fala em lutar, é como dizer enfrente um duelo com os olhos vendados e de mãos vazias contra alguém com um fuzil e todo equipamento ao seu alcance. E o público ainda clama ser justo.

O próprio voto é anulação do indivíduo em seus direitos naturais, o pior é se tratar de um teatro para legitimar uma agenda automática, e chamamos isso de democracia por costume, assim como os quase todos os países do mundo se chamam de democracias. (kkkkkkk) - Até mesmo a Coréia do Norte, que esta mais para seu velho modo de império dinástico com roupa nova apenas.

Numa lógica simples, Rosseau diria que estamos fazendo pelo contrário, negamos o nosso poder para dar para alguns, que em sua maioria pertence dentro de grupos seletos. Afinal de contas o político é àquele que participa da Pólis, traduzindo para facilitar para um termo de origem latina, cidadão é aquele que participa da Cidade. Assim também é o partido que na verdade se trata de participar, partes, grupos, mesmo que se diz apartidário se encontrar num conjunto de pessoas, ela forma um grupo, ou seja, parte que deriva partido. Mas até o partido é representativo, e funciona pelo contrário também - por isso é mais um dispositivo que se impeça de exercer seu poder diretamente.

Uma analogia, imagina você trabalhar por um ano, e você tem que dar a metade desse trabalho para mim, ou seja, seu dinheiro para melhor disposição. Com certeza, eu faria um serviço melhor que qualquer governo, ou seja a metade do seu salário real é pra mim. Sim, é como ter um inquilino e você tem que pagar para ele o aluguel que você deveria receber, é isso que você faz com o poder: em troca de quê? (Pagar para uma pessoa mandar em você). - Aí o que era pra vier o que entraria a distribuição de renda vai para:

A ONU declara que no Brasil o desvio de verba pública por ano gira em torno de 200 bilhões. E o governo gasta 1 bilhão por ano em média só para maquiar com publicidade com suas maravilhas mentirosas que sempre tivemos, tipo desde àquela que falam que o Brasil é o país do futuro.

18% do PIB em média é voltada para os gastos sociais, como saúde, educação e entre outras, quase ela em sua maioria é comida pela previdência...

Mas quase a metade do PIB está destinada para bancos, corporações, dívidas eternas, etc. 

E partes para sustentar o próprio aparelhamento estatal. Ainda mais neste país que nunca saiu desse velho desenvolvimentismo e populismo, estaremos sempre fadado a continuar esse processo,o nome dessa luta é cega. Por isso nem voto e já mal quero participar por dentro do establishment, apoiarei muitas alternativas que vai de contra a ordem estabelecida, toda ferida é pouco, o mal tem ser cortado pela raiz, mas a grande mentalidade coletiva ainda alimenta o processo, se vou contra, me tornarei um inimigo público, assim como já foram a maioria do outsiders dos passados. A Ovelha Negra.

Por que chamamos isso de Democracia?


Jeny  nesses dois vídeos pode demonstrar aquela questão que você fez do que se trata uma republica, e do que se trata uma democracia.


   





Re: O Problema da Sociedade e Você
Resposta #3: 27 de Outubro, 2016, 09:16:02
1
0
Exercer o poder diretamente é a melhor coisa. Pretendo fazer isso a nível municipal ano que vem. Os agentes públicos tem que ver a cara das pessoas que eles fingem que governam, se eles não se dignam a ir até o povo, o povo vai até eles. Só tem duas alternativas ou você bate de frente com o sistema ou se junta ao sistema, o que não dá é para viver sendo massacrado todo dia.
« Última modificação: 27 de Outubro, 2016, 20:50:28 por shunt »


Re: O Problema da Sociedade e Você
Resposta #4: 27 de Outubro, 2016, 19:53:10
O problema da sociedade? O vídeo mesmo respondeu. De fato somos nós que encaramos um assunto de defesa da mulher como algo de esquerda. Ou de algo que pode combater os violentadores e estrupadores como algo de direita. Não paramos para pensar, para refletir como ser humano. Com todo respeito ao Jungon , de verdade, mas ele já está encarando um corte de gastos públicos como um modelo de direita. E olha que já li matérias que isso era idéia da Dilma. Confirmada a informação, não terá sido uma contradição? E continuamos a ter nossos "times de futebol".

Só para dar um exemplo, caro keiki , eu já fui a favor da maioridade penal, porque vi ali ajustes que poderiam ser benéficos para a sociedade. E isso era uma idéia de considerada de direita. Mas não deveria ser encarada assim. Deveríamos, antes de tudo, nos dar a possibilidade de refletirmos sobre ela. Primeiramente. Antes de acionarmos o nosso "ódio aos opressores". Da mesma forma que sou a favor da luta das pessoas LGBT. Sim, historicamente é um gênero da sociedade alvos de muito sofrimento no passado, de muito ódio e de muito preconceito. Para podermos eliminar os nossos pecados, precisamos trazer essas pessoas para perto de nós, aceitarmos elas como nossos irmãos e irmãs. E isso é considerado uma idéia de esquerda.

Por que sou capaz disso? Porque eu reflito no âmbito humano primeiro. Evito de me posicionar sob o fio de um rótulo. Pô, antes de tudo sou uma pessoa que habita o mesmo mundo que outra pessoa, que pode ter crenças e segmentos diferentes. E elas merecem ser respeitadas, inclusive suas dores. Por isso não sou capaz de ir no discurso vitimista que protege bandidos, estrupadores, assassinos ou qualquer coisa. Poxa, eles causaram sofrimento à alguém. Ao mesmo tempo entendo que isso vem da falência cultura e moral da nossa educação e da nossa sociedade. E essas coisas são a base de tudo. Então antes de remediarmos, precisamos consertar essa base. Antes pintarmos uma casa, passamos massa corrida, lichamos e etc... Não jogamos a tinta logo de cara. Um trabalho bem feito reside nessas etapas de limpeza e preparação primeiro. Por isso não sou capaz de apoiar absolutamente o Bolsonaro, mas ao mesmo tempo sou incapaz de apoiar o Jean Wyllis por também ver perigo e radicalismo nos ideais dele.

O parágrafo àcima é só um esboço do meu posicionamento a respeito de tudo, um pequeno rascunho das minhas razões para ter esse posicionamento. Então o que identifico é que nós fomos gado e massa de manobra. Achamos tudo bonitinho de um lado e endemonizamos o outro sem nos dar a devida reflexão. Sem nos fazer pensar com calma e com o coração o que aquele respectivo assunto me diz. A própria divisão em Feminismo x Anti Feminismo, por exemplo, é um indício claro da tentativa de dissolução do poder da população, porque é claro que com união até o Impeachment daria frutos mais sólidos, toda a reinvidicação daria frutos mais consistentes e reais.

PORÉM... Isso não é tudo. Temos as nossas corrupções também: furamos filas, continuamos sentados enquanto o idoso se mata de pé no ônibus, não respeitamos os nossos pais e nem os professores, os professores tentam impor ideologias perigosíssimas, mentimos para a namorada ou o namorado, a qual juramos amor eterno; mentimos para um amigo, etc... Ou seja, temos muito o que consertar, o nosso quarto tá tão desarrumado que julgar-se melhor que o outro é uma insanidade sem tamanho.

Então é isso... O problema está no coração das pessoas, está na educação e na cultura oferecida para elas.


"A vida não é um jogo
de um homem só. Precisamos
trabalhar juntos para superar.
Seu talento não é o suficiente?
Todos nós precisamos trabalhar
mais então! Sua espada é a minha espada"

- Jay Chou, Hero


Meu lar fora de ORB

Re: O Problema da Sociedade e Você
Resposta #5: 10 de Novembro, 2016, 05:49:29
0
0
Eu ia postar um pouco depois que você Athrun Zala , este texto estava pronto, eu ia desisti, mas só colocando devido as circunstância, por que ia trabalhar um tópico depois. Um deles é a vitória de Trump agora, outra porque o governo vai limitar o número de partidos e limitar para 8. (E mais um motivo, agora tudo é esquerda e esquerdista - que dá vontade de assumir todas as pautas de "esquerda" - as pessoas só lhe guardam o que é conveniente e o que o senso comum arrasta para ficar como ovelhas repetindo os motifs das tendências). Bem, como a tese levantada da onda conservadora (a do Brasil é muito estranha - pois tanto por política ou tradições - ou e postura realista, etc  foge do âmbito). E como tenho uma referência libertária de modo abrangente, e o contra o establishment em diversos campos - até porque sou ou seria um dos fundadores de um partido, ao qual defenderia um plataforma que girasse ao redor do libertarianismo Bleeding Heart - como parece que os políticos decanos parasitários estão fechando o jogo cada vez mais devido as diversas movimentações aqui e ao redor do mundo. Estarei disposto a expor muitas visões além do mainstream, e apostando que ondas vindouras sejam mais vieses libertários.  A postagem a seguir mostra ou coloca questões sobre haver uma persistência a uma homogeneidade de visão de mundo e as diversas relações entre espectros do global, o nacional, o regional e o local. Bem como demarcar espaços físicos em subjetivos. Como também afirmar uma tradição que define uma realidade política, uma das acepções ditas conservadoras políticas, ou num processo histórico evolutivo numa linha progressista que geram determinismos - melhor dizendo, o conservador não é aquele que deveria prezar pelo status quo e o progressista seguir em frente a superação da ordem já constituída?











Bem tem muito mais, umas centenas.... Mas quem sabe pela frente abra uma postagem pra abordar sobre isso e mais;

Agora, fazendo uma resumo, não tenho bola de cristal,  (não vou votar mesmo por nrazões) estou torcendo para que 2018 dê segundo turno  Bolsonaro - PSC (vide a figura direita superior referencia ao Trump - ala conservadora e parece coincidir com a posição) e juntamente com Ciro Gomes - PDT (figura a esquerda com a rosa que por coincidência é símbolo do partido e parece coincidir com a posição de Nolan)

Por que? Ahá, pode até ser besteira, mas após a onda conservadora, vou torcer justamente acontecer o que está rolando agora nos EUA - o partido libertário de lá teve adesão de 1000% neste período de crescimento - além de outras posições; Bem, espero que o Bolsa imite o Pastor Everaldo que em 2014 alugou discurso Austro-libertário, que nem Trump fazendo nos EUA - bem...

Bem sobre radicalismo, este pessoal é tudo pró-establishment, estou na ponta inversa das duas perspectivas. Sexo é tabu,e também é um dos melhores dispositivos de controle por isso;

Imagina a posição que tomo "ultra-radical"? XD - Bem como tomo radical, significa raíz, vejamos de onde estou partindo...


O homem não nasce livre, mas torna-se livre ou liberta-se” - Baruch Espinosa (Já foi considerado até como o homem mais infame do mundo, talvez compita com Aleister Crowley se considerar os contextos de época de cada um).



Democracia, liberdade de pensamento e expressão, tolerância religiosa, liberdade individual, autodeterminação política dos povos, igualdade sexual e racial – esses valores tornaram-se predominantes nas décadas que se seguiram à sua consagração pela Declaração dos Direitos Humanos da ONU em 1948. Mas, mesmo que esses ideais não pareçam radicais atualmente, sua origem foi extremamente radical – muito mais do que a maioria dos historiadores estão dispostos a reconhecer. Em A Revolução das Luzes, o aclamado Jonathan Israel traça as raízes filosóficas dessas ideias a partir dos estratos do pensamento iluminista menos respeitáveis – a que ele chama o Iluminismo Radical. O Iluminismo Radical surgiu em princípio como um movimento clandestino de ideias, quase inteiramente encobertas da vista do público durante sua primeira fase; amadureceu em oposição à corrente moderada e dominante do Iluminismo na Europa e na América do século XVIII e nas décadas revolucionárias de 1770, 1780 e 1790, surgiu abertamente, provocando uma reação longa e amarga. A Revolução das Luzes mostra que essa oposição vigorosa deveu-se principalmente aos impulsos poderosos da sociedade para defender os princípios da aristocracia, da monarquia, do império e da hierarquia racial –, princípios ligados à defesa da censura, à autoridade da Igreja, à desigualdade social, à segregação racial, à discriminação religiosa e aos extensos privilégios dos grupos dominantes. Ao contar essa história fascinante, esta obra revela a origem surpreendente de nossos valores mais queridos e ajuda a explicar por que, até hoje, eles são frequentemente reprovados e atacados por certos círculos.

Sobre o autor: Jonathan Israel é professor de História moderna no Instituto de Estudos Avançados de Princeton e um dos principais historiadores do Iluminismo. Está em processo de terminar uma obra monumental em três volumes sobre o Iluminismo Radical, os dois primeiros volumes são O Iluminismo Radical e A Contestação do Iluminismo, já publicados em inglês.



Paralelismo


"— Diga-me, o que o levou a ler Espinosa? O fato de ser  ele judeu?

— Não, Vossa Excelência, eu nem tinha idéia disso quando me deparei com seu livro. Aliás, se o senhor leu a história de sua vida, pôde ver que não era amado na sinagoga. Encontrei o volume em um antiquário na cidade vizinha; paguei por ele um copeque, lamentando naquele momento gastar um dinheiro tão difícil de ganhar. Mais tarde, li algumas páginas, em seguida, continuei como se um vento forte me impulsionasse pelas costas. Não compreendi tudo, como lhe falei, mas quando tocamos em tais idéias é como se segurássemos uma vassoura de feiticeira. Eu não era mais o mesmo homem…

— Gostaria que me explicasse qual a significação que tem para o senhor a obra de Espinosa. Noutros termos, se se trata de uma filosofia, em que consiste ela?…

— Não é fácil dizê-lo… Conforme o tema tratado nos diversos capítulos, e se bem que tudo se mantenha subterraneamente coeso, o livro significa diferentes coisas. Mas creio que ele significa sobretudo que Espinosa queria fazer de si mesmo um homem livre — tão livre quanto possível, tendo em vista sua filosofia, se o senhor nota o que eu quero dizer — e isso indo ao extremo de seus pensamentos, e interligando todos os elementos uns aos outros, se Vossa Excelência puder desculpar o mal jeito da expressão.

— Não se trata de um modo errôneo de considerar o problema, através do homem, mais que da obra. Porém…"

Malamud, The Fixer

(O homem de Kiev. Paris: Ed. du Seuil, p. 75-76).





Bem, como prezo a liberdade individual, não simplesmente declarar inspirações libertárias, mas vai além disso, logo que:




É claro que ninguém tira algo da cartola assim do nada, dá pra ver, enquanto muitos espreitam nos pensadores do iluminismo tardio, pós Hegel, tal com Marx, e toda sua raíz, mas Nietzsche acho que embalou com um tal de Max, o Stirner - base de muitos movimentos - o Egoista que somos, mas interessante notar além disso, um dos percursores do existencialismo. Mas em Nietzsche interessei justamente, no humano demasiado humano, quando se deu a Gaia Ciência, lembrando as origens da poesia moderna, ao qual colocou na Provença do século XII, e olha só... Ele sabia de algo. Bem, indo além disso, a Utopia de Thomas More não era para um amanhã que nunca chegaria, mas teria já acontecido...

Utopia


Quem diria, desde o século IX - algo que influenciaria nossas línguas, não só isso, como música e poesia, e o futuro romance - tanto mistério... O que diriam aqueles que saberiam o Nome da Rosa. Talvez um poeta poderia expressar também isso:

"Além da Terra, pelo Infinito,
procurei, em vão, o Céu e o Inferno.
Depois uma voz me disse:
Céu e Inferno estão em ti."

 "Que a tua sabedoria não seja humilhação para o teu próximo. Guarda domínio sobre ti mesmo e nunca te abandones à tua cólera. Se esperas a paz definitiva, sorri ao destino que te fere; não firas a ninguém.

Omar Khayyam (1048-1131)



Aqui vai uma pequena homenagem ao cátaros e companhia, não era o único contingente, como existiam diversos outros nos quais tentam apagar a sua memória. Mas estarei expondo talvez por aqui detalhadamente no futuro sobre eles e como também os mesmo eram interligados a alquimia e outras correntes. O que venho retratar aqui por ora um dos motivos da origem ou senão principal das origens da inquisição e da diversas ordens seguidas que copiaram estes e alguns outros que a Igreja Católica e a Aristocracia de sua época tramaram, assim como as reformas que muito mais tarde espalhariam nos protestantes.

Esta música do ERA, acho que poucos devem saber, retratam sobre os cátaros e assim como outras, alguns apontam que a letra é de inspiração da época depois a perseguição que viriam pela igreja de Roma (o engraçado que o prisma dos perseguidores que levaram o retrato de serem os mocinhos da história, claro, para qual foi a maior ameaça da Ortodexia e serem mais engajados que o mesmo.)




Vale lembrar que não somente na região sul da França, como as vizinhanças como também a região ibérica que passavam por diversas relações e conflitos. Os Cátaros se destacaram mais historicamente por causa da Região de Languedoc (mas se espalharam por toda Europa juntamente com outros movimentos) - e lá também ficam os famosos casos de conspiração do Priorado de Sião, narrativas de Dan Brawn, Maria Madalena até como esposa de Jesus, Santo Graal etc. na região de Rennes-le-Château - E adivinhe a relação com os Cátaros!?


A questão que coloco é que já houve algo parecido descrito na Utopia de Thomas, o próximo vídeo retrata em música a história e o prognóstico da época, eu já sabendo de muitas coisas, nem em resumo consigo colocar pois daria muita coisa - o que falo são os mesmos valores que passaram por gerações, assim como os ciganos, os gnósticos, muitos dos árabes além de todos atualmente serem taxados de muçulmanos (nesta época o islamismo estava num forte movimento secular, a era de ouro do mesmo), assim como os Irmãos do Espírito Livre, alguns druídicos refletido como os magos modernos, os gregos nas regiões portuárias, os judeus eternos perseguidos que se encontravam em paz por ali, outros místicos e além de muitas liberdades femininas (algumas correntes religiosas chegaram a ter aspectos matriarcais), etc.


O Reino Esquecido se trata do Cátaros, mas o começo resume o que antes retratavam através de um olhar herético das coisas por causa... 




"Poderemos então considerar como teriam sido os rumos da civilização ocidental e quão diferente seria nossa atual fase de transição se a florescente civilização cátara, ao invés de dizimada pela igreja romana, tivesse a ela prevalecido."



 

Alerta: este tópico não recebe novas mensagens há pelo menos 400 dias.
A não ser que você esteja certo que quer responder, por favor, considere criar um novo tópico.

Observação: Este post não será exibido enquanto não for aprovado por um moderador.
Nome: E-mail:
Verificação:
Qual a cor do papel abaixo?
: