Conheça o jogo preferido dos AGers!
Quer ser shinigami? Inscreva-se aqui!


[Conheça o jogo - Regra padrão - ]

23 de Maio, 2019, 06:28:44

Autor Tópico: História 5 [VAINE]  (Lida 278 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

História 5 [VAINE]
: 19 de Julho, 2015, 14:43:34
0
0
Japão, 2015, 07:30

Quarto dia do quarto mês e você acorda no mesmo lugar. Instituição psiquiátrica Honjo, estas palavras martelam na sua cabeça como uma britadeira no chão. Quatro meses e, até agora, nada. As pessoas não respondem suas perguntas, parecem te ignorar de propósito ou, simplesmente, não ligar para a sua presença. Por que? Por que, de repente, acordou em um hospício?

- Bom dia, Vaine. Hora do remédio.

A mesma enfermeira com a mesma expressão de sempre, ou seja, nula. Perguntou milhares de vezes, mas a resposta é sempre a mesma: o importante é a sua recuperação. Como recuperar de algo que sequer se lembra o que é?

- Não quero remédio. – Resmunga, devolvendo o copo com três comprimidos.

- Você sabe que não é uma opção. – Sua voz é calma até demais. Irritante.

- Eu nem sei o que tem nesses remédios ou para que servem! – Grita, totalmente sem paciência.

- Já disse...

- Que o importante é a minha recuperação, eu sei. – Interrompe a enfermeira, que apenas mostra o copo novamente.

- Tome. – Diz ela, entregando-lhe um copo de água.

Contra sua vontade, mais uma vez, engole os remédios. Já sabe que, daqui meia hora, sentirá sonolência, azia e perda de memória.

- Mais uns meses e viro um vegetal... – Murmura, olhando para a mulher.

- Pode ter suas horas de passeio agora.

Ela termina de falar e vai embora, fechando a porta de seu quarto.

- Por que? Por que estou nesse lugar?

Senta na cama e começa a vasculhar suas memórias, mas não adianta. É como se um vazio a ocupasse. Deita a cabeça no travesseiro e sente algo machuca-la. Levanta-o e encontra um celular.

- Como isso veio parar aqui? – Encara o aparelho, assustado com sua descoberta.

Ele vibra e a seguinte mensagem aparece na tela:

“Bom dia, Vaine.

Curioso para saber seu passado? Não se preocupe, o seu passado o encontrará.

Até lá, desejo um bom passeio.”

Sem nome e sem mais informações. Apenas o e-mail: responda@server2014.com. Você escuta o barulho da porta se abrindo lentamente, mas ninguém aparece. É possível enxergar um corredor comprido, com algumas pessoas andando sem rumo.

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #1: 19 de Julho, 2015, 18:54:30
  • Vaine Masculino

  • Rock'n'rollin' bitch
  • Médio
  • Vioninho
0
0
Esse celular é somente mais uma virada bizarra nos últimos bizarros meses de minha vida. Olho nervosamente para os lados antes de tentar mexer um pouco mais no aparelho, buscando fotos ou uma agenda. Resisto em responder o e-mail agora, talvez seja, de algum jeito, uma armadilha. Uma maneira de tentarem reduzir ainda mais a minha limitada liberdade.

Antes de sair tento encontrar alguma forma de esconder o celular, na sala ou em minhas roupas.
« Última modificação: 19 de Julho, 2015, 19:46:32 por Vaine »

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #2: 19 de Julho, 2015, 22:59:32
0
0
Observa o celular por alguns segundos, olha para os lados muito nervoso e decide procurar alguma pista no aparelho. Não encontra nenhuma foto, apenas endereços. Vários locais diferentes, mas nenhum familiar, por mais que vasculhe em sua mente. Frustrado, esconde o celular em um buraco de seu colchão velho. Caminha até a porta, desejando que os remédios demorem para fazer efeito. Encontra um tanto de pessoas estranhas pelo corredor, a maioria andando sem rumo. Não ligam para a sua presença.

- Devem ser os remédios... – Pensa, observando-os.

Parecem zumbis, até que um deles esbarra no seu braço e te encara por uns segundos.

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #3: 22 de Julho, 2015, 02:37:03
  • Vaine Masculino

  • Rock'n'rollin' bitch
  • Médio
  • Vioninho
0
0
Quando sinto um dos corpos, um de meus companheiros de prisão, tocar em mim paro e encaro levemente seu rosto tentando identificar se foi intencional ou proposital ou até mesmo se reconheço a pessoa.

Após a interação ando para mais longe, talvez um jardim se houver, quem sabe um local menos vigiado.

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #4: 22 de Julho, 2015, 23:05:37
0
0
Uma das pessoas esbarra no seu braço e te encara. Você para e retribui o olhar.

- Eu consegui o que você me pediu... – O homem sussurra, enquanto olha para os lados.

- Foi difícil, mas consegui a informação. Vem comigo, me segue discretamente.

Ele parece te conhecer, mas por que não o reconhece? Pensa novamente que deve ser efeito dos remédios e o segue. Vocês caminham na direção de uma das salas de televisão.

- Na verdade, eu pensei em um lugar mais isolado... – Diz, reparando no quanto a sala está cheia.

- Acredite, aqui é o melhor lugar. Com o Matsuo do nosso lado, nenhum guarda escutará nossa conversa.

Ele aponta para uma das pessoas da sala, um homem alto e obeso, que assiste um programa de música e o acompanha, cantando bem alto. Depois de observa-lo, percebe que até mesmo seus próprios pensamentos parecem mais distantes.

- Vem, senta aqui. – Ele aponta para um tabuleiro de damas que encontra-se no chão.

- Finja que está jogando... – Arruma as peças e olha mais uma vez para os lados.

Curioso, você decide acompanha-lo, sentando na outra ponta do tabuleiro.

- Então, encontrei um nome, Takeo Ushida, parece que te conhece. – Ele movimenta uma das peças.

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #5: 26 de Julho, 2015, 01:52:15
  • Vaine Masculino

  • Rock'n'rollin' bitch
  • Médio
  • Vioninho
0
0
Não vou negar que pretendia realmente passar em um lugar mais vazio e vomitar esses comprimidos, mas o que o desconhecido falou prendeu minha atenção. Bem até o limite em que o tal Matsuo permitia.

Segui com a encenação e movi uma peça qualquer, sem prestar realmente atenção nisso. Então respondi:

"Takeo Ushida, hum. De onde será que ele me conhece, tem mais alguma informação sobre isso?"



Tava meio sem tempo ultimamente, Kas, desculpa aí ;/

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #6: 26 de Julho, 2015, 04:20:44
0
0
Off-topic: relaxa, eu entendo. A galera toda anda meio sumida. XD

Ele te acompanha e também mexe uma peça qualquer do tabuleiro.

- Parece que esse cara era seu amigo ou algo assim, não descobri muita coisa ainda. – Desconfiado, olha uma vez para os lados.

- Por enquanto, o que posso te dizer é: você fez uma merda grande lá fora. O meu informante disse até para tomar cuidado contigo. – Ele ri e te dá um tapa fraco nas costas.

Você não lembra do que fez, essa informação o deixa ainda mais confuso. Mexe uma das peças para continuar a encenação.

- Eu sei que não lembra de quase nada por causa dos remédios, então, não tenho com o que me preocupar, não é mesmo? Aliás, vê se não esquece do nosso acordo, hein? Você tem que me dar uma parte do seu almoço até a semana que vêm, é o preço dessa informação. E, se quiser mais alguma coisa, é só esbarrar de novo.

Ele olha discretamente para trás, observando o movimento das pessoas na sala.

- Ok, daqui a pouco, o Matsuo terminará a música e a nossa conversa junto. Tem algo que você queira antes que eu vá embora?

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #7: 26 de Julho, 2015, 18:59:34
  • Vaine Masculino

  • Rock'n'rollin' bitch
  • Médio
  • Vioninho
0
0
Mesmo com tal revelação, tentei mesmo assim me lembrar de algo que tivesse acontecido antes, olhando vagamente para os lados.

"Será que eu sou perigoso? Será que eu machuquei alguem e aleguei insanidade?"

Baixei a cabeça e esfreguei os olhos durante um tempo, tentando esclarecer os pensamentos.

"OK, em relação ao almoço, não se preocupe, vou honrar o acordo. E sim tem mais umas coisas que eu queria saber. Você sabe se tem como conseguir algo pra carregar um celular? E também de que jeito eu posso me livrar dessas malditas pílulas, um lugar onde eu possa cuspir ou vomitar elas, sei lá."

Re: História 5 [VAINE]
Resposta #8: 27 de Julho, 2015, 01:40:37
0
0
O homem escuta suas palavras e ri.

- Um celular? Como conseguiu um por aqui? – Pergunta, com a voz baixa.

- E, sobre as pílulas, tenho uma solução que pode te ajudar. Um dos caras daqui criou uma bebida que faz qualquer um vomitar, mas te aviso que o preço não é barato. Geralmente, ele se esconde num dos cantos do jardim. É mais fácil para negociar.

Matsuo termina a música, restando apenas o barulho da televisão.

- Nossa conversa acaba aqui, amigo, hora de partir.

Ele se levanta e volta a fingir que está sob o efeito dos remédios, andando levemente torto.