Você sabia, Visitante? Atualmente, o servidor do Fórum AG é mantido financeiramente pelos administradores. Qualquer quantia doada seria mais que bem vinda! - 1 real já ajuda e muito - Quer ajudar a AG a se manter sempre no ar? Fale com a administração!

12 de Dezembro, 2018, 12:07:02

Autor Tópico: Ruínas da Sétima Igreja  (Lida 2733 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Ruínas da Sétima Igreja
: 25 de Junho, 2015, 21:00:55
0
0
Ruins of the Seventh Church

A sétima igreja era o templo dos últimos que um dia acreditaram nunca seriam atingidos pela catástrofe final do mundo.
O local era feito todo de mármore branco, com detalhes minuciosos de ouro em suas colunas. Uma imagem marcante ao centro de uma cruz feita de ouro branco cujo parecia estar flutuando sobre o altar de ouro maciço coberto por um manto vermelho carmim.
Sua extensão era conceituada por aquele que ocupava o mais alto cargo religioso como o paraíso dos anjos e que agora não se passa por apenas ruínas manchadas pelo sangue e atormentado pelos ecos de desespero das almas mortas naquele lugar.


Update (25 de Junho, 2015, 22:12:55):
E se nada tivesse acontecido? E se o fim realmente fosse ligado ao início de um novo ciclo que ganha uma nova forma, novas histórias, novos recomeços...

O tempo cinzento trazia consigo uma companhia fria e desagradável. A fina camada de neblina deslizava pelo ambiente desconecto em suas colunas, com manchas escuras agarradas para sempre no solo frio e mórbido de mármore rabiscado de poeira mesclada com cinzas de ossos. Por mais que o cenário fosse moribundo, sua beleza natural apresentava uma nova aparência para o que um dia trouxe a paz, porém, agora só carrega um devasto peso de gritos e choros.

Em passos calmos o homem de sobretudo negro caminha por dentre os pedaços de rochas desmanchadas pelo tempo. Seus cabelos voavam de lado descobrindo um de seus olhos vermelhos que transparecia um ser sem alma. A pele empalidecida de sua face que acompanha uma expressão branda e calma se mostrava presente depois de muito tempo sem ser vista. Os mortos andavam na terra, o ceifador de demônios, o sanguinário da noite, o moribundo das pragas e o lixeiro de cadáveres retornava pausando seus passos de frente ao crucifixo que era a única coisa que estava em forma inteira, mas desgastada pelo tempo. A mão que estava mergulhada ao bolso de seu sobretudo saia do vão da peça de roupa e se direcionava ao objeto, assim que o encostou sobre seus dedos deslizou suavemente eles sentindo o aspecto áspero e gasto, um sorriso surgiu em seus finos lábios mostrando os caninos afiados.
- Notae recordati... - o som de sua voz era suave e ameaçados, algo que sempre foi marca do mesmo.

Se virou e se propôs a sentar em uma pequena pilha de pedras colocadas de frente ao enorme objeto e ficou por ali a observar apenas aquilo, algo que sobreviveu ao fim dos tempos e que se dissolve com os dias difíceis e mórbidos.
« Última modificação: 25 de Junho, 2015, 22:12:55 por Alucard, Motivo: Merged DoublePost »

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #1: 26 de Junho, 2015, 00:13:47
  • Anael Limelight Feminino

  • "I'm one with the Force, and the Force is one with me!"
  • Semideus
  • Viúva do AT
0
0
~*A híbrida chega logo após, vê o homem, porém passa reto por ele. Vai até o altar e pega o crucifixo, trazendo junto ao peito, murmurando uma oração. Esperava que YdrI estivesse bem*~


Kasdrael, minha Nana
Anjinha da Guarda e Sakura do Ruddy ^^~

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #2: 26 de Junho, 2015, 00:23:27
  • Nytro Masculino

  • Um monstro-desu :3
  • Esforçado
0
0
Surgia nas ruínas em um piscar de olhos. Podia ser a neblina, ou a sensação maligna que intoxicava o ar, mas me sentia atraído por aquela paisagens destruída. Enquanto flutuava por suas imediações podia se perceber crucifixos e ossos jogados no chão, as cinzas que cobriam a imagem diante de meus olhos poderiam servir perfeitamente como adubo para uma vida natural surgir naquela terra, mas duvido que alguma planta queira nascer em um solo corrompido como aquele.
- Hm? -
Não muito longe de onde eu flutuava, vi um vulto sentado em algo que parecia uma pilha de pedras, a curiosidade é fatal, mas para um ser imortal como eu esse tipo de medo é fútil. Me aproximei do vulto e perguntei
- O que faz aqui? -
Ragdoll me <3

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #3: 26 de Junho, 2015, 09:31:11
0
0
Não meditava por ninguém, o silêncio e o ambiente obscuro sempre atraiu o demônio vampiro para eventos como encontros inesperados, não fora atoa que após alguns minutos pode sentir a presença de algo ou alguém lhe fez apenas mover as órbes dos olhos vermelhos para o lado que a tal passou no mesmo instante. Uma morena de cabelos escuros, sua essência não era amedrontadora, porém, seu ato curioso atraiu a atenção do mesmo fazendo seu dedo indicador passar por baixo da linha de seu lábio inferior, friccionou logo em seguida ele no polegar apenas uma vez e por fim se levantou, causando uma movimentação sobre a fina camada de neblina.

Prosseguindo com os atrativos de seres uma terceira pessoa chegava ao local, pelos céu nebuloso e pronto para despejar uma tormenta de água, algo que parecia vir a cair vorazmente ao solo penumbro e devastado.
Permaneci de pé observando a tal híbrida com suas preces por alguém que não me importava saber quem era esperando a aproximação da outra, não demorou quase nada para que isso viesse acontecer e assim suas palavras tocavam meus ouvidos com uma frase na interrogativa, uma curiosidade desnecessária a não ser para saber de alguém que não passava de um desconhecido.

Para começar a responder a pergunta da pessoa curiosa, levemente abria os braços deixando-os não muito estirados, colocando eles em forma de "V" abrindo também as palmas de minhas mãos.
- O ambiente é atrativo... - respondia com sutileza e depois virava apenas sua cabeça para o lado deixando que o ser visse seu perfil perfeitamente.
- Não acha?
Uma linha fina se encurvou em sua face dando a demonstração de um sorriso sem vida, algo que só a expressão única do demônio conseguia fazer.

Um vento passou pelo local levantando a massa branca fazendo com que Alucard agora se virasse totalmente de forma frontal podendo olhar melhor para quem lhe estava interrogando.
- Lhe conheço? - perguntou abaixando seus braços e os colocando junto ao corpo, seus cabelos voltavam a cobrir os olhos, não totalmente, as rajadas do vermelho intenso poderiam ser vistas através dos fios negros que balançavam com o vento frio e calmo, pois eles não haviam cessado.
Apesar de estar tendo uma conversa com alguém desconhecido ou não lembrado, ainda não tinha esquecido da tal híbrida por trás que encenava estar pedindo algo para seu conhecido, deixando claro de que ele não iria se surpreender com nada.

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #4: 30 de Junho, 2015, 12:55:02
  • Nytro Masculino

  • Um monstro-desu :3
  • Esforçado
0
0
- Cuidado com esses sorrisos forçados, sua face pode acabar derretendo se tentar forçar muito. -
Respondia em um tom quase sarcástico para o vampiro.
- Me chamo Nytro, sou um simples andarilho. Bem acho que vou sair de sua história por hora, vá falar com a híbrida logo ali, ela pode ser interessante. Até -
Sumia no ar em uma cortina de fumaça deixando o local cheio de perguntas não respondidas.
Ragdoll me <3

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #5: 30 de Junho, 2015, 13:01:20
  • Anael Limelight Feminino

  • "I'm one with the Force, and the Force is one with me!"
  • Semideus
  • Viúva do AT
0
0
~*Ela estava terminando suas preces quando ouviu uma menção a si. Espreitou , apenas virando o olhar para eles, continuando imóvel em frente ao altar. Se levanta e senta-se em um banco que encontrara, fitando a conversa de Nytro e Alucard. Questionava-se como Nytro poderia conhecer sua natureza, se sua aparência se assemelhava a de um demônio comum. Ouviu o comentário de Alucard e pensou alto*~

- Realmente o ambiente é muito atrativo... Traz à memória lembranças...


Kasdrael, minha Nana
Anjinha da Guarda e Sakura do Ruddy ^^~

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #6: 2 de Julho, 2015, 04:54:56
0
0
    . A ruiva caminhava sem destino após sair do Farol, sua mente vagava em algum canto longe daquela cidade, talvez longe daquele mundo... Com sonhos que não conseguia explicar e com nomes e vozes que nem ela entendia... Viu de longe os picos de uma construção religiosa um pouco decadente, talvez pudesse passar a próxima noite naquele lugar, e com esse pensamento não pode deixar de rir, mas o porque daquilo ficou sem explicação minutos depois. Acelerou os passos para alcançar o lugar mas antes que pudesse chegar percebeu as presenças das pessoas ali, não pareciam presenças hostis então deixou que seus pés a levassem para a Igreja, a porta, janelas, tudo naquele recinto parecia estar destruido, caindo em esquecimento pelos demais habitantes, mas mesmo assim sua cabeça pendeu um pouco para o lado observando a presença dos dois seres nela .


    . A cada passo que a ruiva dava sua bota de metal formada de engrenagens de todos os tamanhos que rodavam a cada passo que ela dava fazia estalar um barulho como de um relógio girando, parecia que o tempo ia parando a cada momento que ela se aproximava do centro da Igreja, alguma coisa lhe dizia que podia estar no lugar certo que tanto esperou para recuperar sua memória perdida, a dor que se iniciava ao fundo de sua mente mostrava que estava se aproximando de algo que podia ser perigoso para sua saúde física e mental, mas mesmo assim ela continou se aproximando, até fazer parte daquele circulo.


    Suas obres observavam de um ao outro, com aquela luz elas pareciam rios de ouro puro penetrante e inquisidor . Bom Dia.... . Os cumprimentou com a voz firme mas polida, não queria problemas com pessoas que não conhecia ou sabia da capacidade ainda, era melhor se manter neutra naquela existência . Sinto muito se interrompi algo... . Diz divertinda, sua voz parecia brincar com as palavras a cada letra, era claro que aqueles dois também fossem desconhecidos um para o outro .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #7: 2 de Julho, 2015, 08:29:04
  • Anael Limelight Feminino

  • "I'm one with the Force, and the Force is one with me!"
  • Semideus
  • Viúva do AT
0
0
~*A híbrida fitou a moça ao longe e se sentiu em deja vu. Observou sua aproximação, e não parava de se lembrar como tudo virara de cabeça para baixo desde que ele decidira partir. O semblante da moça assemelhava-se ao seu, e ela se questionava se ela teria tido o mesmo tipo de perda. Coloca as mãos dentro do casaco e a cumprimenta*~

Bom dia... Você não nos interrompe. Não conheço as pessoas aqui, mas parece que tal encontro foi predestinado de alguma forma... A propósito, me chamo Kasishua.


Kasdrael, minha Nana
Anjinha da Guarda e Sakura do Ruddy ^^~

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #8: 2 de Julho, 2015, 16:45:28
0
0
    Kasishua... . Ela repetia o nome em voz baixa como se pudesse lembrar de algo, ou estivesse assimilando o nome, a sua voz parecia com o barulho de cordas de relogio girando em um silêncio absoluto, suave e constante. Depois de um tempo dessa forma a jovem levanta os olhos dourados e a observa, não parecia ter nada de diferente nela... Mas a sua aura, o seu ser... Ela estendeu a mão para a jovem e mostrou um fino sorriso em seus lábios . Lilith


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #9: 4 de Julho, 2015, 00:51:20
0
0
Permaneceu a observar aquele indivíduo com desdém enquanto ele indagava suas palavras que não me serviam de absolutamente nada. O tempo ali começava a ficar mais pesado, alguns sons dentre as nuvens indicavam que o tempo se esgotava a cada segundo que passava para a queda da chuva e antes que o evento natural fosse acontecer só pode notar o tal ser sumir de sua vista deixando um rasto de fumaça por onde seguiu. Abaixou os olhos sem muito interesse naquela lista de perguntas que o outro havia deixado. O nada continuaria sendo um nada. Enquanto isso a híbrida se exaltou em um pensamento alto, algo que fora notório para o vampiro, pois, o comentário não havia sido em vão somente para o vento. Sempre que se tem vontade de comentar algo em um bom som mesmo parecendo ser somente para si é porque tinha vontade de escutar algum tipo de comentário sobre as palavras ditas.

- Lembranças... São coisas que as vezes desejamos ter e outras não. - a névoa que pairava no local aumentou mais a sua densidade e de repente se dissipou pelo solo demonstrando os pisos quebrados, alguns deformados e outros ainda alinhados como foram colocados no passado.
- Não sei por qual motivo se deslocou para este lugar, mas, aqui não é mais um templo para pessoas zelarem por outras. Tudo aqui trás um peso de morte e tristeza, como consegue achar paz neste lugar, híbrida? - perguntou após surgir ao lado dela com sua velocidade sobrenatural.
Continuou a olhar para o crucifixo enquanto esperava a resposta da morena que não demorou muito a ser dita.

As órbes do vampiro se colocaram de canto e um sorriso bem singelo surgiu, algo que não era comum estar estampado na face do mesmo.
- Finalmente... - sentiu a presença de alguém que esperava aparecer, a pessoa que por muito tempo nunca obteve mais contato.
- Lilith, seja bem-vinda. - ao se virar para poder observar a outra se deparou com uma aparência diferente, com uma vestimenta mais mundana e distante da que a antiga ou a conhecida Lilith usava.
Levou seu dedo ao queixo estudando a outra que se apresentava como a tal esperada.

Ambas se cumprimentavam e se apresentavam, algo que não deu muita importância, apenas observava tudo com uma certa preocupação. Aquela não era a rainha do inferno, aquela não era sua aparência física de antes. Será que havia esquecido sua verdadeira aparência ou estava vendo-a de forma diferente?
-... - ficou apenas a observar as duas sem dizer mais nenhuma palavra e para completar ou não, mais um teria que chegar.
- Não existe predestinações, existe o real e posso dizer que essa realidade está fora da qual um dia fui acostumado a presenciar.

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #10: 4 de Julho, 2015, 01:11:05
  • Anael Limelight Feminino

  • "I'm one with the Force, and the Force is one with me!"
  • Semideus
  • Viúva do AT
0
0
~*Suspirou, sorrindo cinicamente. Fitou Alucard de canto de olho,e em um tom sarcástico dispara*~

Paz é algo que desconheço, desde que parte de mim se foi... Foi em um lugar assim que o encontrei, bem como o perdi... Mas tens razão, só que as lembranças foram as únicas coisas que me sobraram dele...

~*Se sentiu sobressalente e foi se encaminhando para a saída. Não queria atrapalhar o reencontro dos dois*~

Até breve, Lilith. Prazer em conhecê-la.


Kasdrael, minha Nana
Anjinha da Guarda e Sakura do Ruddy ^^~

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #11: 4 de Julho, 2015, 06:57:06
0
0
    Prazer . Sua voz saiu baixa a observando enquanto se retirava, só então ela voltou as obres de ouro derretido para o homem que se encontrava ali antes em silêncio, a forma dele a cumprimentar, a forma dele a olhar... Ele a conhecia? Sua cabeça deu o primeiro sinal de dor, uma pontada forte, mais forte do que as de costume la lateral direita da cabeça... A força foi violenta que a fez levar a mão até os cabelos ruivos e segurar a cabeça fechando o olho direito para que tentasse fazer com que a dor passasse. Quem era ele para trazer de si tamanha memória que a proteção imposta em sua memória havia reagido daquela forma ? . Quem...é...você. . Sua voz saiu ríspida e inquisitiva, sua cabeça latejava mas agora a dor já lhe era confortável, seu corpo tinha uma adaptação forte para qualquer tipo de dor . Você me conhece? . Os dourados dela se encontravam onde os olhos dele estavam, ela o olhava com determinação, um pouco de curiosidade e um brilho eterno de luxuria que seu nome carregava .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #12: 14 de Julho, 2015, 18:56:53
0
0

[O véu da noite se estendia pela madrugada, passos ocos rondavam a catedral, como sons solitários que adentram a escuridão eterna.Um homem despido da parte de cima de seu traje, exibindo uma longa tatuagem rúnica ao redor da barriga, trajando calça de couro de um antigo kimono chines um tanto diferente.Portava uma longa espada negra com uma face estranha no cabo que continha 2 rubis vermelhos e a porta com apenas uma das mãos, longos cabelos branco lisos e pontiagudos no fim, seus olhos eram totalmente branco sem retina alguma.Seus braços adornados por um couro preto do mesmo estilo do kimono que cobria todo o braço deixando apenas os ombros descobertos]

........

[Seus passos silenciosos ecoavam na escuridão, sua face era fria e séria com um semblante totalmente misterioso.Sua face por si só demonstra ser algo desconhecido.Seus passos então terminaram em frente ao altar destruído que ainda sim continha pedaços da cruz.Seu olhar se voltava aquela cena e fixava seus olhos na cruz destruída como se pudesse ler o que aconteceu no local.Permanecia ali parado em pé em frente ao altar segurando sua espada com uma das mãos e com a outra abaixada.]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #13: 15 de Julho, 2015, 18:56:39
0
0
    . Os olhos dourados se voltaram rapidamente para a imagem que agora adentrava ao recinto, parecia que o silêncio havia caído naquele local, como se os demais presentes tivessem sido congelados no tempo. O ouro do seu olhar brilhava com a curiosidade daquela imagem que parecia ignorar todos ao redor, como se a própria existência dos outros seres fossem nulas a sua presença. Isso a incomodava... E muito.

    O corpo da ruiva rodou sobre os calcanhares ficando de frente para ele, o movimento fez os cabelos ruivos balançarem levando um pouco deles por sobre o ombro, ela chegou a dar um passo para frente, mas parou no movimento como se algo em sua mente lhe foçasse a parar... E novamente estava ela ali presente, aquela dor no fundo da sua cabeça onde ela havia esquecido quem era .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #14: 20 de Julho, 2015, 15:18:44
0
0


[Em meio a conturbados pensamentos ao olhar para aquela fabula santificada em um objeto cujo o qual a mente humana tem como esperança, permanecia ali olhando aquele objeto "santificado" como se estivesse esperando por algo.Podia sentir as outras presenças no local mas ignorava todas, pois não tinha interesse em nenhuma delas, suas auras não apresentavam nenhum significado destinto para chamar a atenção dele, por mais poderosas que fossem, não procurava poder, e sim algo diferente.Até que nota que alguém caminhava em sua direção, podia escutar mas não se direcionou a olhar pois nada ali poderia apresentar perigo para ele.Uma leve brisa passava no local esvoaçando de leve os longos cabeços brancos que passeavam pelos olhos brancos sem retina e de semblante frio, até que nota que uma mulher parava a sua frente, podia sentir a aura perturbada daquele ser, uma mescla de duas significâncias distintas.Ele apenas volta o semblante para aquela mulher a sua frente e apenas da um suave sorriso prepotente.Como um suspirar leve e escarnico de que pode medir tudo que vai acontecer em seguida]


.....

[Após o suave e quase imperceptível sorriso ele volta a olhar o altar com a mesma indiferença de antes]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #15: 20 de Julho, 2015, 16:51:51
0
0
    . Uma sobrancelha dela se ergueu formando uma expressão um tanto diferente em seu semblante geralmente calmo e divertido. Seus lábios curvaram para a lateral esquerda formando um sorriso divertido e um tanto curioso. Ela voltou o olhar para a cruz que havia sido deixada ali de novo pela jovem que antes se encontrava naquele recinto, Por que tanta adoração a um mero simbolo? O que símbolos tinham que mexiam tanto com as pessoas? Sua cabeça pendia um pouco para a esquerda enquanto ela pensava naquilo meio que devaneando, não havia esquecido a presença ali, mas a cruz prendeu sua atenção um pouco, e não olhar para ele fazia sua cabeça não doer e sua raiva não se exaltar, ele a irritava e nem se quer havia falado algo. Se pós ali lado a lado com o desconhecido observando a cena, era um tanto curioso aquela cena... E ela não pode deixar de rir sozinha, seu sorriso era alegre como de um bebe que havia acabado de nascer sem nenhuma preocupação.. Afinal ela realmente não tinha, nem sabia quem era .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #16: 20 de Julho, 2015, 17:08:03
0
0

[O leve vento de um local fálico  era uma apreciar único para ele, um local de paz aonde nada reina e nada existe.Após aquela leve brisa mórbida passar pelo local voltava a si saindo de sua sórdida mente que vagava por mil fossos profundos de escuridão vazias.De fato não parecia se importar com nada nem com presenças locais,logo terminará o que fazia ali, porém existia um local daquela igreja ainda mais a visitar, ele então virava as costas suavemente deixando seu longo cabelo branco esvoaçar suavemente e começa a dar suaves caminhadas sem pressa até uma outra parte da igreja.Ainda com a espada negra em punhos cujo o qual as pedras rubis davam uma leve cintilada rubra no momento que se virava.Algo ínfimo que apenas as mais perceptíveis almas poderiam notar.]

.......

[Aos passos ia seguindo em direção as escadas locais, suas vestes negras passeavam pelo chão mas não atrapalhava o caminha, eram como sombras lineares que acompanhavam seus passos e adornavam seu corpo.Seu torno despido não parecia sentir o frio local, na verdade apreciava tal frio como algo que ja sentira sempre]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #17: 20 de Julho, 2015, 19:11:04
0
0
    . Parou de rir observando o crucifixo, onde estava seu irmão? Suspirou cansada olhando para cima, a estrutura da igreja estava destruída, tinha suas duvidas de quanto tempo mais aquele prédio estaria naquele lugar, provável que fosse destruído em poucos anos... Ou antes disso, ao pensar nisso seus olhos voltaram para onde o homem havia se retirado, tinha algo de familiar nele... que lembra seu irmão mas por que isso? . Meu irmão, onde você esta? . Sua voz saiu baixa e seus olhos foram se fechando enquanto sua mente esvaziava, sua aura mudou da turbulenta e agitada para uma aura calma e transparente, quase palpável, os lábios se abriram e sua voz saiu em uma cantiga de ninar que conhecia a muitos anos... Não sabia de onde nem de quando, mas aquela música sempre esteve contigo desde o seu nascimento... E agora ela a cantava naquela igreja perdida, onde ninguém supostamente a podia ouvir .


    . Seus olhos brilhavam em um dourado vivo enquanto os cabelos ruivos balançavam com a brisa fria do anoitecer, aquela música iria alcança-lo, iria alcançar a quem era pertencia e essa era sua missão naquele corpo, no porque ela nasceu... No porque ela tem tanto medo de morrer .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #18: 23 de Julho, 2015, 00:47:52
0
0

[Continuava subindo as escadas suavemente, apenas o ruido de suas botas negras ecoavam no local, permanecia com a mesma face séria e calma.Ao chegar ao piso superior caminhou até alguma porta qe por ventura levava aonde queria ir, a sacada da igreja, pois tinha uma bonita vista de frente para o luar, aonde nada em volta atrapalharia a visão do resplendor da noite de lua cheia.Após encontrar em uma das portas meio destruída, abrira a porta sutilmente mal tirando poeira de suas conjunturas e no máximo fazendo um pequeno barulho]

.......

[Caminhava calmamente até a beirada destruída da saca, apenas parte do corrimão estava inteira, mas era o suficiente para ele se sentar ali e apreciar sua solidão noturna.O vento frio e úmido passando pela pelo seu corpo, aquele ar puro e vazio era como uma similaridade assustadora com sua alma, se é que poderia considerar ter uma.O jovem então colocou sua espada negra encostada ao seu lado e se levantou abrindo os braços vagarosamente e fechando os olhos.Uma leve gota de orvalho seguida por uma fina chuva que se estabelecia aos poucos não local, deslizava pelo seu corpo como uma benção solidaria com sua alma vazia.Podia sentir cada gota cair em seu corpo, mesmo estando de olhos fechados podia sentir a lua como um todo, como se ela estivesse ali tocando-o como suaves caricias de uma dama da noite.As suaves gotas escorriam pelo corpo do jovem deixando seu longo cabelo branco tapar parte do seu peitoral escorrendo pelos olhos.]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #19: 23 de Julho, 2015, 16:45:34
0
0
    . A música para, ela levanta os olhos observando o que sobrou da cobertura daquele lugar, um suspiro suave sai dentre os lábios molhados, não adiantava... Nada adiantava, ninguém iria vir... Ela fecha os olhos novamente suspirando mais uma vez e logo os abrindo, morde um pouco o lábio inferior enquanto leva os dedos aos cabelos bagunçando-os levemente irritada, por que era tao difícil assim? Ela poderia estar vivendo em algum canto.... Em alguma cidade, com família, com seu irmão, como uma vida normal que todo mundo tem, mas não... Ela estava ali... Que...irritante . Voltou o corpo para a direção que o estranho havia ido... Ele tinha subido? .

    . Não se deu conta porque... Mas quando viu já estava do lado de fora da catedral olhando para cima. As gotas de água começavam a cair pelo seu corpo molhando-a completamente mas aquilo não a incomodava, as pequenas gotas que caiam por seu olho, não a incomodava. O vento frio passava pelo seu corpo levantando o cabelo vermelho para a direção que ela olhava que era aquela criatura sentada como se nada o alcança-se, aquilo... Aquilo a incomodava . Nada parece lhe incomoda... . Ela finalmente diz quebrando o silêncio do lugar, sua voz era calma mas estava intrigada com ele, como alguém podia ser tão indiferente as coisas assim? .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #20: 23 de Julho, 2015, 17:04:31
0
0

[A sublime brisa da noite junto a mórbida paisagem com a chuva era o local perfeito para passar o tempo.Uma vez que Oblivion se tornara massante para ele, ja havia observado tudo e não tinha nada novo acontecendo, nada que o interessasse, o calor, o frio, os trovões os gritos de agonia e lamuria eram incomodantes as vezes, em suma precisava de um pouco de silêncio, ou de algo novo, algo que realmente o interesse de estar nesse plano novamente senão a bela noite.O tabuleiro dos Nimbus não mais interessava sua atenção.Até que em meio ao seus pensamentos o silêncio  de sua alma é quebrado por uma voz feminina, confusa, e aparentemente doce e irritada.Podia notar apenas em seu tom de voz tais emoções.Não sabia como tais emoções se uniam em um só semblante, mas era normal daquela criação os seres ser assim.Ele então abria os olhos calmamente e olhava para baixo de onde veio a voz, seu rosto era praticamente inexpressivo]

E você está curiosa com isso, não? - Dizia de forma calma.Sua voz era imponente e ao mesmo tempo misteriosa e serena


Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #21: 23 de Julho, 2015, 17:19:55
0
0
    . Um sorriso um tanto vitorioso e sarcástico escapou de seus lábios mostrando pontas de dentes perolas enquanto suas obres encaravam a falta das dele, aquela voz.... Era realmente irritante .  E não é que você sabe falar.... Comecei a achar que era mudo... . Ela responde um tanto ríspida observando a falta de vida naquele ser... Ela conhecia muita coisa, ela própria tinha seus segredos e seu modo de vida, mas não sabia porque ele a incomodava, a irritava tanto quanto a intrigava e a fazia querer descobrir mais. Seus braços estavam caídos ao lado do corpo, mas moveram-se brevemente para trás do mesmo expondo assim mais seu peito a frente o que lhe dava uma postura de desafio .

    Não... Não estou curioso... . Ela suspira por fim, já sabia que não ia chegar onde queria com ele se não fosse direta . Estou irritada...


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #22: 23 de Julho, 2015, 17:32:38
0
0

[Zero permanecia observando aquela mulher, era de fato algo diferente, uma mulher  com corpo belo mas a mente conturbada com emoções pífias e desnecessárias, para ele era algo que ja havia visto naquela dimensão, bastante similar com híbridos, anjos e demônios, seres de estirpe mutavel.De fato começara a ler a existência daquela mulher apenas em olha-la, podia ver quem é com quem ja esteve e o que é agora.]

Falar ou não é uma questão ambingua mulher, que se condiz apenas quando há interesse na troca de informações, e por sinal antes você não me interessava em nada.... - Dizia de forma fria e calma com o mesmo semblante


....Mas vejo que se encontraste com meu irmão.O que é de estranhar, pois se ainda está viva é por que ele a está manipulando muito bem - Da um sorriso misterioso e suave quase imperceptível

[Zero dava um pequeno salto para o corrimão de pedra e ficava agachado apoiando em seu joelho.Seu cabelo longo ficava caído em direção a mulher, e seus olhos sem retina e sua face sem semblante parecia mais uma máscara falando.De fato era como se a mulher olha-se no vazio branco existêncial ao fitar seus olhos]


imagem para representar a posião
http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://bocadoinferno.com.br/wp-content/uploads/2013/04/Padre-2011-2.jpg&imgrefurl=http://bocadoinferno.com.br/criticas/2011/05/padre-2011/&h=320&w=700&tbnid=G4pfm0YNqmSpeM:&docid=UpOSiZmbxk-ezM&ei=rk6xVcu9IIy1ggT02b54&tbm=isch&ved=0CD4QMygbMBtqFQoTCMvM2vaL8sYCFYyagAod9KwPDw

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #23: 23 de Julho, 2015, 17:50:17
0
0
   . Mas que...? Seus olhos abriram ao maximo mostrando sua impossibilidade de acreditar no que ele havia dito. Uma de suas maos se ergueram como se tentasse alcançar aqueles cabelos prateados se pudesse ela ja teria feito questao de derruba-lo dali. Sua boa se abriu e se fechou diversas vezes ate ela baixar novamente a mao e passar pela boca a tampando, era respirou fundo e soltou um sorriso calmo . Você tem um bom ponto de vista... . Ela voltou a mostrar o rosto completamente molhado com um sorriso diferente, um sorriso tranquilo .

    Desculpa... Mas nao sei do que fala, se eu tivesse encontrado alguem como Você aqui... Eu saberia. . Ela estava agora mais curiosa do que antes, intrigada... Que merda de criatura era ele ? .
« Última modificação: 24 de Julho, 2015, 04:07:09 por Lilith »


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #24: 23 de Julho, 2015, 19:43:49
  • beyond Masculino

  • ▌║││║█║▌║│█
  • Médio
0
0

              Como um cometa, se chocava próximo as ruínas da sétima igreja, mexendo com toda a estrutura do lugar, algumas paredes antigas tombavam, partes de árvores mortas voavam para longe e uma grande cratera se formava abaixo do corpo daquele homem que ia se erguendo após o impacto de suas pernas contra o solo, finalmente estava completamente sã de si mesmo, e de quem realmente era, concluiu a primeira parte de sua própria evolução, em seu rosto, usava parte de uma máscara que cobria apenas a região do nariz e da boca, um vento forte batia contra o corpo de Catherine e de Zero, a pressão que causou o impacto era considerável. - Não se aproxime dele, Catherine. - Em sua cintura se encontrava sua espada, era completamente negra, era coberta por uma névoa azulada que cercava-a por completo. Os olhos do homem eram sérios, mostrava-se incomodado com a presença na sacada da igreja, principalmente ao notar que sua irmã estava próxima demais dele e pela sua expressão, curiosa para se aproximar do mesmo. Sua distância para eles não era maior do que 30 metros, a visão na qual Liryionn possuía era perfeita, mesmo de noite.

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #25: 23 de Julho, 2015, 20:56:38
0
0
    . Seus olhos correram de onde estavam para a confusão que agora se formava, partes mais fracas da estrutura caim, a fumaça e o vento que formaram foram suficiente para que a jovem tampasse os olhos, o que estava acontecendo ? Quando pode finalmente olhar direito voltou a cabeça e o corpo completamente para a figura que surgia ali, aquele era... ? . Irmão? . Sua voz saiu fraca e falhada, ele parecia diferente, os olhos, a forma de vestir e aquela mascara a forma como falava com ela... Não era seu irmão que havia encontrado alguns dias antes na praia, dormindo no banco... Não era mais a mesma pessoa, mas ela tinha certeza, aquela presença era dele... Mas o que... ? Lembrou-se do que o outro havia lhe dito... Impossível... . Seus olhos variavam de um para o outro e parou finalmente em Asura, sua face estava séria ele a conhecia, sua expressão era clara, ela queria resposta e agora . Asura... O que esta acontecendo aqui!?


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #26: 23 de Julho, 2015, 23:11:09
0
0

[Zero permanecia parado olhando aquela mulher na mesma posição, notara que ela se sentiu incomodada pelo seu comentário, mas não entendia o por que, afinal ele apenas disse a verdade.Algo cujo o qual ele agora aprendia, que os seres daquele plano sentem-se ofendidos de contraparte com a realidade.]

Vejo que vive em um mundo cujo não é seu.Sua conciencia não avalia fatos que poderia estar abrangentes na sua frente.Uma pena sua mente ser tão fechada quanto seus olhos, mulher. - Zero dava um pequeno sorriso novamente


[Nesse momento já sentira ao longe a chegada de seu irmão, podia sentir a energia conflitante e tão similar a dele.Zero então da um pequeno sorriso e fecha os olhos no exato momento do impacto.Partes da igreja caíram perto dele mas mesmo aquelas que eram certas de atingi-los simplesmente desviaram e caíram ao lado como se essa fosse sua rota de caída de antes.Após a poeira dissipar e escutar a voz de preocupação de Liryionn ele então abria os olhos vagarosamente e olhava para ambos na mesma posição]

Liryionn, a quanto tempo meu pequeno irmão. - Dizia de forma saudosa com um sorriso sinico no rosto

Você continua colhendo as almas mais sentimentais e necessitadas para manipular e usurpar suas condições.Você realmente merece o titulo de manipulador assim como eu, porem nossa diferença é que eu manipulo as esferas, e você os corações e as almas desses seres decaídos - Dizia em tom calmo e frio

[Ainda sim um sorriso sincero, realmente estava satisfeito em revê-lo, as coisas estariam realmente ficando interessantes para zero, mesmo que seu irmão não sentisse o mesmo, era irrelevante para ele, pois a função de satisfação de Zero agora estava se reativando, e isso sim tornavam as coisas tanto mais interessantes, quanto perigosas para não só os demais mas também para com aquele plano]
« Última modificação: 24 de Julho, 2015, 03:23:00 por Z e r ø »

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #27: 24 de Julho, 2015, 04:06:23
0
0
    . Piscou algumas vezes tentando apagar a poeira que surgia em seus olhos, ou em um ato idiota de dentar despertar de algum sonho maluco que a Senhora havia a colocado novamente, mas dessa vez parecia que nada tinha haver com ela... Que nada tinha haver com aquela mulher maligna que manipula seu destino como manipula uma boneca presa em fios de nylon. Sua cabeça caiu, os olhos dourados não enxergavam exatamente nada, realmente estava cega como o homem a havia dito, suas mãos moveram-se lentamente indo em direção a sua face e a cercando completamente. Catherine puxou o ar algumas vezes, forte, como se ele estivesse faltando em seu pulmão, mas era meramente uma forma dela se acalmar, depois da 10º respirada ela voltou a erguer o rosto ainda com a mão sobre ele mirando o homem que havia chamado seu irmão de irmão, seus dedos começaram a descer mostrando uma face serena e terna por completo, a confusão havia passado... Podia-se notar em seu brilho ouro uma curiosidade infinita de tudo, como uma criança que havia acabado de nascer e via o mundo pela primeira vez, alguma coisa parecido com animação pelo desconhecido, pelo novo .

    Irmão?... . Sua voz era controlada, como se a cada letra que seus lábios deixavam sair ela precisava contar até dez e novamente de dez a zero . Manipulação...? . Correu os olhos do homem acima para o seu irmão ao seu lado novamente, sua face estava curiosa, irritada com ele, o que era aquilo que lhe diziam de seu ente querido? Mais irritante era... Ela não duvidava que aquelas palavras fossem verdade, por alguma razão, ela não duvidava que tudo aquilo fosse verdade, talvez fosse aquela Senhora a manipulando novamente, Por Favor... Que alguém corte os fios de nylon que a prendiam a ela .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #28: 24 de Julho, 2015, 15:22:15
  • beyond Masculino

  • ▌║││║█║▌║│█
  • Médio
0
0

                    Sério, sem esboçar nenhuma reação com as acusações de Zero. - Como sempre tentando ferir com suas palavras, colocando o sentimento de dúvida nas pessoas por mera diversão, você nunca muda. - Ele foi caminhando lentamente em direção de Catherine, ouviu com atenção todo o questionamento da mulher, sabia que ela estava perdida, um sentimento confuso, jamais poderia ter imaginado seu irmão de uma outra forma como aquela.

                    - Me chamo Lyrionn, uma entidade de Oblivion, e este é meu irmão zero, digamos que é meu lado negro, somos como Yin & Yang. Seu irmão ainda vive comigo, somos como um, desde que ele nasceu foi escolhido para manter tamanho poder e servir como hospedeiro, por isto ele foi sempre diferenciado dos outros. E você também guarda algo dentro de si que ainda dorme, Catherine. - O homem parava agora diante da mulher, seu cabelo e seu traje molhado por conta da chuva que apertava, mas não era nenhum problema para ele, gostava da chuva, da sensação que aquele lugar lhe causava, conviveu com tudo aquilo dentro daquele corpo, enquanto ele apenas observava inoperante.

                    - Meu irmão, seu jogo jamais será concretizado enquanto eu estiver próximo, principalmente sua tentativa de mexer com o sentimental de Catherine, que sim, é minha irmã, agora, sou como um só também com este humano. - Ele apenas observava Zero de longe, sua voz saía meio mecanizada por conta da máscara na qual usava, aquele corpo não suportava 100% o poder de Lyrionn, por isto, usava de algumas tecnologias para lhe dar maior resistência.
« Última modificação: 24 de Julho, 2015, 15:32:35 por Ullr »

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #29: 24 de Julho, 2015, 16:33:30
0
0


[Zero permanecia olhando seu irmão se apresentar a mulher e nada dizia, apenas quando seu nome era mencionado ele dava um pequeno sorriso]

Suas palavras clamam por confiança alheia Lyrionn, esse é o seu maior erro, é sua sentença de culpa - Diz de forma séria

Diz que eu estu jogando quando na verdade é você que toma corpos mortais apenas para vir a esse plano criar vínculos e se alimentar da desgraça de desfazer tais elos criados por você.Quanto a mim eu estou aqui em própria matéria.- Diz olhando para ele e para ela de forma calma

[Nesse instante zero sai do corrimão e fica de pé na sacada da igreja e olha o céu]

Somos seres controladores, criamos toda essa existência e ainda sim usa um corpo mortal banindo sua alma para o vazio por bel prazer.Sim eu sou o seu lado negro, as trevas que acalenta as almas que você fere com sua luz abrasante e injusta- Diz olhando o seu em tom sereno

[Zero voltava o olhar para os 2 que estavam a baixo dele com um olhar sereno e calmo, apesar de sua frieza e falta de emoção suas palavras eram diretas sem exitar.Bastava a mulher obter o minimo de inteligência razoável para sua raça que talvez entendesse as palavras de Zero.De fato zero era a parte negra do esquecimento e do vazio que ambos representavam.Mas o conceito de bem e mal, luz e trevas fora criada por mentes ínfimas desse plano, não se qualificava tais qualidades e defeitos a sua existência suprema.E apenas aqueles dotados poderiam compreender suas palavras]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #30: 24 de Julho, 2015, 16:50:02
0
0
    . Seus olhos corriam de um para o outro enquanto o corpo mais ensopado não poderia estar, controlar, irmãos, dimensões, corpos, destruição, alma... Ninguém em sua vida era normal ? Bem era pedir de mais se ela mesma não era uma pessoa comum, não acreditava em Anjos, em Deus, em Demônio ou criações, mas depois de conhecer aquela Senhora nunca mais iria mexer com o que não conhecia, foi um erro seu, curiosidade sempre foi seu ponto fraco e graças a ele estava presa com aquele voto inquebrável. Fechou os olhos brevemente enquanto os dois terminavam de discutir sua própria relação, subjugando os ditos "mortais", ditos isso e ditos aquilo... Sim ela era mortal, humana, imperfeita... levou a ponta do dedo indicador e polegar na base no nariz pressionando levemente, parecia que sua cabeça estava explodindo, que a qualquer momento seu cranio ia rachar . Ok, acho que entendi o que esta acontecendo aqui... . Ela fala sua voz estava calma, mas seus olhos não miravam nenhum deles, eles se encontravam cerrados e pressionados tentando fazer aquela dor passar... Que inferno era aquilo, depois diziam que o inferno era controlado por outro ser... Duvidava que algo podia ser pior do que a ridículas criaturas que corriam pelo mundo humano . Lyrionn, Asura... Não dou a minima para qual nome você usa no momento, Zero ou seja lá qual for o seu nome... Vocês disseram que controlam a existencia, brincam com o plano mortal e procuram se entreter com isso ao que vejo, porque se o mundo onde vivem, são ou foram criados fosse tão maravilhoso vocês não estariam aqui dependendo de humanos para passar seu tempo . Ela diz soltando a cabeça e levantando os olhos para os dois seria . Isso não me importa, quero saber o que vocês tem para me oferecer em troca do que posso dar a vocês


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #31: 25 de Julho, 2015, 07:10:46
0
0
* O espírito aparece *


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #32: 25 de Julho, 2015, 15:39:10
  • beyond Masculino

  • ▌║││║█║▌║│█
  • Médio
0
0

                  Seu olho exposto seguiu em direção da mulher, um tanto que surpreso com o que a mesma acabara de propor. - Nossa estadia aqui vai muito além de uma mera diversão. O mundo onde vivemos é um lugar que você jamais gostaria de conhecer, um lugar onde até mesmo os anjos e os demônios tremem em ouvir. Estou aqui para um proposito muito maior, e seu irmão não foi um objeto escolhido apenas para o meu prazer, eu escolho crianças com doenças terminais, que sequer terão a chance de completar seu primeiro ano de vida e lhes dou a oportunidade de viver e servir para um propósito. Tudo que ele fala, o que ele ouve, o que ele sente, eu sinto também, assim como ele sentiu suas palavras, creio que não seja esta Catherine que ele imaginava, parece que o tempo causou mudanças.

                  Em um leve suspiro - Caso deseje negociar favores, creio que seu lugar seja mesmo com meu irmão. - Parece que desta vez seus esforços foram em vão, a índole que Catherine demonstrou, era algo totalmente diferente do que havia sentido dentro do irmão dela, o Asura. - Talvez desta vez tenha conseguido estar um passo a minha frente, Zero. - Ele virou-se de costas para a mulher, e foi caminhando lentamente para a outra parte do que restou da igreja, indo em direção á uma floresta, em passos lentos, ignorando a chuva que o encharcava. Não havia mais motivo para um embate, já que as escolhas pareciam estar feitas.

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #33: 25 de Julho, 2015, 15:51:29
0
0
    . Aquelas palavras a avião machucado, mas sua atenção estava em outra coisa, a dor ainda era de mais, mas não podia deixar de sentir o peso de ver aquele homem que dizia ser parte de seu irmão sair, antes que ele pudesse sair Catherine deu alguns passo rápidos e o segurou pelo pulso firme, sabia que qualquer que fosse a força que ela exercia sobre o corpo dele não seria nada perto da força que o mesmo possuía, não iria pedir para ele ficar, muito menos chorar a despedida que se apresentava, ele também não quera quem ela achava que fosse os dois estavam decepcionados um com o outro... Mas tinha algo que ela precisava saber . Tudo o que você fez... O que você passou comigo até hoje, foi tudo mentira? . Ela encarava a nuca do homem e esperava por uma resposta, sabia que não iria segui-lo como fazia desde pequena com seu, sempre olhando para as costas dele e imaginando o dia que iria conseguir alcançado .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #34: 25 de Julho, 2015, 16:03:12
  • beyond Masculino

  • ▌║││║█║▌║│█
  • Médio
0
0
           Parou ao sentir que foi segurado. - Tudo o que viveu com seu irmão foi real, ele sempre foi o que você sempre achou. - Ele logo continuou a andar após respondê-la, e comentou em tom baixo para si mesmo. - Você perdeu, Asura.

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #35: 25 de Julho, 2015, 18:25:24
0
0
    . Ela observa o homem se retirar e sorri... Havia alcançado ele . Obrigada Lyrionn... Por manter meu irmão vivo ate agora... . Ela fala ainda a tempo do sussurro chegar ao ouvido dele. Volta a manter seu corpo ereto e se volta o homem na igreja . Entao... Os acordos sã com você?


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #36: 27 de Julho, 2015, 02:50:50
0
0

[Ver Lyrionn ser refutado e jogado fora daquela forma fazia Zero realmente era prazeroso, podia ver seu irmão ir como um perdedor, e mais uma vez mostrava a ele que suas maquinações não eram superiores as dele.Mesmo que fossem um só ainda eram eternos rivais, e nos ultimos milênios Zero tem vencido as disputas, isso vem se tornando frustrante e ao mesmo tempo prazeroso para o manipulador das esferas.]


E mais uma vez meu irmão, foi vencido pelo seu próprio veneno.E mais uma vez presenciou que os seres desse plano podem ser tão frios e obstinados quanto você -Dizia Zero de forma fria e direta

Lembre-se meu irmão, o poder é um conceito, que revela nossas limitações

[Zero  então dava um pequeno salto para a parte de baixo aonde estava aquela mulher que de fato o interessou,enquanto olhava o irmão ir embora por entre os ombros dela, ele dava um pequeno sorriso desdenhando e vitorioso]

Vejo que aquele que meu irmão usa como corpo um dia significou algo para você, e ao mesmo tempo você agora joga fora todo o se laço e sua memoria.Devo dizer que aprecio tal atitude.- Diz olhando nos olhos dela de forma misteriosa

[Zero da alguns passos rodeando a mulher de forma sutil observando-a.Seu longo cabelo branco decaia sobre seu corpo molhado que cobria parte de seu semblante gélido]

Me diga o que deseja alem da verdade de sua alma conflitante?Fale que sempre quis ouvir que esse corpo é apenas uma casca que contempla algo maior que a mera carne e que deseja sair em sua plenitude.- A voz de Zero saia como pregos perfurando a mente dela , palavras misteriosas que procuravam um significado perdido na alma

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #37: 27 de Julho, 2015, 11:45:59
0
0
Deal [...]

    . Os olhos dourados acompanhavam os movimentos dele quando podia, seu semblante mantinha a tranquilidade e curiosidade. Mordia levemente o lábio inferior marcando de branco o vermelho da pele. Sua aparência era de quem havia saído de um banho de roupa e tudo, perguntava-se se aquela chuva uma hora iria parar.
      Segurava o pulso direito com a mão esquerda por trás das costas, anéis se encontravam em todos os seus dedos, sendo que os indicadores eram totalmente cobertos até passar suas unhas longas em formato de uma unha de dragão em bronze, a maioria de seus símbolos de pescoço e corpo eram ligados a construções, cálculos e coisas desconhecidas, todas em tons de dourado sem brilho, que sobre-saiam parecendo fazer parte dela e não terem sido pintados.
      Catherine balançou levemente a cabeça mediante as ultimas palavras quando finalmente os olhos voltaram a se encontrar, mantinha o queixo levantado o observando, seus olhos estavam ainda com aquele brilho curioso e um tanto interessada, ele ainda a irritava mas podia dar a ela o que queria... Parecia que com sua aproximação a Senhora não interferia em seus desejos . O que mais quero é me livrar dessa casca... . Sua voz estava calma enquanto levantava um pouco a mão e observava o próprios dedos com aquelas mesmas marcas diferentes . Esse corpo não é mais meu, e o que não é meu... Não me interessa . Ela fez uma breve pausa voltando a olha-lo nos olhos . Algo me diz que você pode me ajudar com isso . Ela finalmente sorri, um sorriso travesso pela lateral esquerda dos lábios, dando um ar mais divertido aos olhos dela .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #38: 27 de Julho, 2015, 18:54:13
0
0


[Zero dava um pequeno sorriso ao escutar as palavras dela, podia ver no semblante da mesma que antes era confuso agora parecia ser quem ela mesma era por dentro.Zero então paro em frente dela e segurou seu queixo delicadamente com uma das mãos, e deu um pequeno sorriso.Ela sentia as mãos dele como se fosse um cubo de gelo, seu olhar  penetrava os olhos dela como fogo queimando sua alma]

Se é isso que deseja, eu lhe darei - Diz olhando nos olhos dela

Mas e você, o que tem a me oferecer em troca - Dizia com um sorriso misterioso e malicioso no rosto

[Zero permanecia olhando nos olhos dela fixamente, sua face fria e calma parecia como se olhasse para uma máscara,ela podia sentir ao olhar nos olhos dele como se contemplasse um abismo de almas moribundas que vagavam no eterno sofrimento, podia realmente ver almas dentro de seus olhos]


Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #39: 27 de Julho, 2015, 19:29:46
0
0
    . Tão frio quanto um morto poderia ser, foi exatamente o que passou pela sua mente e olhos enquanto não se atrevia a desviar o olhar daquela inexistência, não era por medo, ela não tinha medo de encarar seres como ele ou como sua Senhora, era por sua eterna curiosidade com aquela existência, aquilo não era normal... Aquilo foi criado . O que tenho a te oferecer? . Ela repete aquelas palavras e um sorriso quase equivalente ao dele, sua face estava erguida com a mão do mesmo, enquanto os pés se mantinham no chão, podia sentir devido ao vento alguns fios do longo cabelo prata tocar em seu corpo, tudo nele parecia ser feito de gelo, mais frio do que aquela chuva de inverno poderia ser . Se puder realmente fazer isso... Pode juntar o que sobrar e levar com você... . Ela falava sério, apesar do sorriso travesso nos lábios contornados de vermelho natural, e dos olhos dourados brilhantes que pareciam piscinas de ouro que nem mesmo o mais atrevidos dos caçadores ousariam penetrar, parecia um convite e tanto .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #40: 28 de Julho, 2015, 16:55:32
0
0


[Zero dava um pequeno sorriso ao escutar a as palavras dela, em seguida ele tirava a mão do rosto dela e colocava 2 dedos no centro do peito dela.Nesse instante  ela sentiria uma dor intensa tão absurda que cairia no chão, era como se sua alma e carne fosse rasgadas se modificando, se moldando a algo novo completamente diferente, ou talvez fosse algo que ja estava latente simplesmente adormecido.Zero emana uma energia avermelhada da ponta dos dedos, pura energia demôniaca, coisa que não era de seu ser, mas que podia controlar muito bem.]

Se o que sobrar for de meu interesse que você, quem sabe talvez eu não leve para meu plano - Diz com um sorriso falso no rosto

[Zero permanecia olhando para o corpo dela agonizando no chão, de fato uma transmutação demorada que podia fazer de forma indolor , mas não teria graça se fosse assim, para ele toda dor pode ser justificada por seus meios e fins.Se era aquilo que ela queria, teria de aguentar o processo.Uma luz negra adornaria o corpo dela em forma de casulo, e no final o processo estaria completo]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #41: 28 de Julho, 2015, 18:40:04
0
0
Pain...

    . Seus olhos cerraram no momento do toque final, e a ultima coisa que pode ver foi aquele sorriso falso estampado em seus lábios, seu ultimo pensamento foi algo como "Sínico...".
      O corpo jovem bateu no chão com um estrondo entre água e terra, seus lábios deixaram escapar um único uivo de dor, aquela dor... Ela já havia sentido aquilo... Aquela energia, ela não lhe era estranha. Em sua mente veio a imagem de uma mulher de longos cabelos ruivos e olhos dourados como os seus, uma ligação... um acordo, e aquele sorriso igualmente falso na sua frente... Qual era o nome dela? Não... Estava trancado, ela não podia pronunciar nunca, nunca por conta daquele acordo...Seu corpo se contorceu no chão, os cabelos ruivos pareciam desbotar, os olhos dourados se abriram escorrendo a cor, cada gota que caia deles ia levando embora aquele ouro que ela carregava.

      Seus dentes fecharam fortemente e sons baixos podiam ser ouvidos nenhum grito de socorro, nenhum desespero de lamentos. Suas tatuagens brilharam e ela abraçou o próprio braço erguendo as costas em agonia mantendo as unhas fincadas na própria pele derrubando filetes de sangue. E novamente ela se contorceu para um lado, as tatuagens pareciam correr por seu corpo mudando de posição como se estivessem vivas. E simplesmente o rosto escuro daquela mulher lhe surgiu, os lábios vermelhos sangue se mexiam rapidamente dizendo algo de importância... Então tudo parou e ela se acalmou.

     Os cabelos antes vermelhos tornaram-se negros como se a vida tivesse sido retirada deles, ou devolvidas, os olhos lentamente foram se abrindo e o dourado havia sumido surgindo um verde vivo e vibrante a pupila estava fora de foco mas aos poucos foram se tornando maiores para se acostumarem a falta de iluminação naquele lugar, os lábios foram soltos e ela aos poucos se ergueu sobre os pés calmamente, como se o tempo tivesse parado com aquela movimentação. As tatuagens pareciam novas, totalmente trocadas de lugares, e alguns novos símbolos surgiram, dois braceletes que ela usava de metal caíram ao chão se desfazendo com o contato da pedra. Seu primeiro movimento quando ficou em pé foi levar as mãos ao rosto passando os dedos pelo olho direito e vendo as gotas douradas que haviam passado por ali, ouro. Ela sorriu.

     Sua cabeça se ergueu fazendo os cabelos negros balançarem com o movimento, os fios desciam até pouco abaixo de seu quadril longos e ondulados negros que quase sumiam com a escuridão do local. Seu sorriso era fixo para a esquerda. A cabeça era sua... Os braços eram seus, e os pensamentos também... Não sentia mais a presença dela... Agora lembrava seu nome . Lilith... . Ela sussurrou com calma e desejo, como se pudesse saborear aquele nome como um dos vinhos mais antigos e apreciados da humanidade, mas ainda assim algo lhe dizia que não tinha se livrado por completo daquela mulher... Aquele sorriso o ultimo, ela sabia exatamente o que estava acontecendo .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #42: 28 de Julho, 2015, 20:26:19
0
0
* nas ruínas da sétima igreja, o ectoplasma toma forma de matéria *



Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #43: 31 de Julho, 2015, 02:18:24
0
0

[Zero permanecia olhando a transformação da mulher como algo comum, não se impressionava com nada, nem com o sofrimento nem com a mudança atual.Sua face fria e séria não dava vazão a nenhuma emoção.De fato ja conhecia aquela mulher de outros tempos cujo o qual nem a mesma se recorda, talvez sua mente fora apagada naquele tempo por  mero acaso entrópico, ou talvez o mesmo quisera fazer isso.Zero ja havia conhecido muitos demônios, para ele eram seres interessantes com que lidar, mas com uma índole previsível demais, apenas um o impressionou até hoje, um anjo caido cujo o qual por sinal se encontra em seu plano de criação]

Está feito - Diz em tom calmo


[Após ver a transformação terminar zero então virava as costas calmamente, e olhava o céu.Nesse instante como se o olhar dele ordena-se a chuva parava no local.As ultima gotas dela passeavam pelo seu corpo como orvalho em uma folha.Então com um gesto suave ele sutilmente jogava  a parte do seu cabelo que estava no rosto para trás, fazendo com que água sai-se do mesmo espirrando para traz.Não havia mais o que fazer ali, de fato ele presenteou aquela mulher com o que ela realmente queria, e pela afronta ao seu irmão, ele fez um favor para ela.Algo como uma retribuição por enxergar a verdade que poucos podiam ver perante ao véu das intenções de Lyrionn]

O que pretende a partir de agora Succubus? - Diz de forma direta e fria

[De fato ja estava pronto para partir dali, afinal ja fizera o que era para ser feito, não tinha mais nada de interesse lá, ao menos que a mesma prende-se sua atenção, mas como poderia fazer isso?Ou será que era de sua vontade?Questões que circundavam como a brisa gélida local após a chuva]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #44: 31 de Julho, 2015, 07:57:25
0
0
   . Catherine o observava com descuido, parecia estar mais interessada no ao redor, nas sensações, na chuva a bater na sua pele pálida, nos cabelos agora longos que balançavam por suas costas cobrindo as partes dela que estavam a aparecer e suas tatuagens, seus olhos curiosos observava o redor, as sensações, até que a ultima gota caiu em seu rosto a fazendo correr o dedo pela mesma para poder observa-la. Sabia que tudo era igual, estava no mesmo local de horas atras, mas por alguma razão seus sentidos estavam diferentes, era como se... Antigamente tudo que ela sentia era passado por um filtro por conta da Mulher, que agora ela sabia o nome, que a controlava.

      Por mim das ultimas palavras dele, a jovem voltou a face curiosa para as costas do homem que sabia se chamar Zero, parecia que ele a havia presenteado com algo interessante e seu semblante se curvava em mais um sorriso, este completo que moldou seu rosto em uma expressão curiosa e indecifrável. Moveu as pernas para frente quase que trombando no corpo dele, seus dedos se ergueram no ar e correram as pontas das unhas e dos dedos pelas costas dele como se dividindo parte dos longos cabelos molhados em dois, aquele ato lhe parecia extremamente interessante apesar de completamente simples . Eu pretendo encontrar aquela que me controlava novamente.... A Sr. Lilith . Era estranho pensar naquilo, era estranho falar seu nome sem nenhum empecilho ou medo, o normal seria evitar que pudesse isso acontecer, para que não mais corresse o risco de ser controlada ou morta por desobediência, mas ela estava curiosa para conhecer de verdade aquela mulher . Pensando agora... Ela parecia um tanto preocupada com alguma coisa ou alguém... . Enquanto suas palavras saiam calmamente de seus lábios, como se a conversa não passasse de algo comum, como se estivesse falando sobre o tempo, seus dedos continuavam a correr a extensão do corpo dele como se pudesse sentir algo através daquele contato. Não lhe incomodava a extrema frieza que ela aquilo, assim como os dedos dele ao lhe tocar pelo queixo, parecia estar extremamente concentrada em percorrer as extensões das costas desnuda deles, ombros e cabelos... Procurando por algo, era o que dava impressão . De outro modo... O que posso fazer por você? . Nesse momento ela para o toque na lateral da cintura direita dele descendo o restante da palma e apoiando-a ali por completo, sua pele era quente mesmo com aquele frio, e fazia um contraste com a frieza dele . Parece um pouco inútil fazer essa pergunta, já que seu interesse aqui acabou... Mas imagino que tenha algo . Ela diz por fim voltando a mover os dedos agora companhados de sua mão, mas esta corria para frente pela lateral, junto com a mão que antes estava parada, fazendo seus dedos se encontrarem na frente do corpo dele sobre a barriga subindo um pouco até os ombros e pressionando ali levemente, isso fazia com que o próprio corpo dela tivesse se aproximado, mas ainda sem contato completo, somente aquela sensação de frio e calor se encontrando que ocorria na pouca distância. Não sabia dizer o que fazia, mas dado a seu estilo de vida, o corpo de alguém era seu livro, ela podia tocar a pele de alguém e entender ou sentir muito do que a pessoa podia sentir. Isso facilitava seu trabalho de Arquiteto .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #45: 31 de Julho, 2015, 13:20:25
0
0

[Zero sentia o toque daquela mulher e no mesmo instante ele curvava o rosto para o lado olhando-a de relance.De fato para ele algo muito estranho, alguém lhe tocar, nunca sentiu um toque feminino ou masculino sem ser em combate, era estranho alguém tocar aquele que era intocável por qualquer um.Sua pele era lisa e macia apesar de fria, parecia um abraço da morte.De fato a mesma oferecia-se a pagar uma divida que não existia, cujo o qual Zero enfatizou antes, porém não via razão para tal, afinal era um prêmio a mesma por se desvencilhar das ilusões.A pergunta dela vagava na mente do manipulador das esferas como uma incógnita.O que ele poderia pedir de alguém como ela?Simples sem poder algum para que ele pudesse-a utilizar em algo... ]


Diga-me você, o que pode oferecer a alguém como eu? - Diz de forma serena

[Após isso Zero volta seu olhar ao céu, permanecendo na mesma posição.Não interrompeu o toque da mulher, nem retribuiu, mas de fato achou estranho, era notável.Um corpo perfeito e intocável como o dele sendo tocado pela aquela mulher era algo que nunca passara por sua cabeça acontecer.Porque ele permitira tal aproximação?Nem mesmo ele sabia, afinal ela não apresentava perigo nenhum, na verdade nada apresentava um perigo a sua integridade, nada que existe, talvez por isso ache estranho ser tocado e estranho não se precaver com isso.Os pensamentos vagueiam tentando se auto compreender naquele instante.Um conflito que nunca existirá antes.De fato era algo interessante.Uma emoção?Não achava que fosse, pois não sabia o que era mas sabia como funcionava, era apenas um paradoxo.Podia tomar alguma atitude mas no momento não sabia qual, logo deixava ser tocado por ela até onde iria, e até onde iria gui-alo a faze-lo de volta]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #46: 31 de Julho, 2015, 17:27:30
0
0
    . Parou brevemente mediante as palavras dele, seus olhos verdes água observavam o topo de sua cabeça que voltou a olhar o céu, novamente olhava para as costas dele em sua plenitude, ele a irritava quando estava presa por Lilith, Por que ? Agora ele a intrigava de uma forma que ela se sentia instigada a continuar ali e não simplesmente se retirar como costumava fazer quando algo não lhe interessava mais ou quando a irritava completamente. Estava curiosa com o que aquela pessoa podia apresentar ao mundo e a ela própria e por isso se mantinha em sua posição, os braços ainda envolviam o corpo dele fazendo-o sentir o calor de seu corpo, os dedos se fechavam com a palma das mãos em seus ombros, e ela ainda o observava com curiosidade.

      Suspirou suavemente soltando uma quantidade considerável de ar, como se estivesse o prendendo até o momento, mas por que ? Ela fechou os olhos e apoiou a testa no centro das costas de Zero e pensou por alguns segundos, seu corpo encostava ao dele agora, o mesmo podia sentir a pele macia e suave dela que emanava o calor de seu corpo, os cabelos negros se misturavam com os brancos dele enquanto o vento passava por ali, ela parecia ter virado uma estatua, ou simplesmente adormecido naquela posição, estava pensando... Não esperava a pergunta, ele parecia ser um ser que sabia exatamente o que queria e do que precisava, o que procurava nas pessoas... E mesmo assim ele a perguntou aquilo . Eu controlo dimensões... Em uma certa parte deste mundo, eu crio... moldo e as desenvolvo a meu bel desejo e prazer . Ela fala finalmente depois de algum tempo naquele silêncio, realmente era a única coisa de poder falando que ela sabia... Era forte, mas não mais forte do que um humano que havia treinado a vida toda... Era ágil e tinha o corpo perfeito para desenvolvimento em altas velocidades, sabia artes marciais e algumas outras formas de contato... Mas fora isso, ela era inteligente e sabia ir atrás do seus desejos .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #47: 31 de Julho, 2015, 18:40:23
0
0

[O calor dela realmente era algo estranhamente confortante, mas até o sentimento de conforto era estranho para ele, afinal nunca sentira tal coisa.Zero não era como seu irmão que experimentara sensações e emoções humanas, para ele tudo era novo no sentido pratico, pois no teorico ele sabia como funcionava, pois detinha de conhecimento infindável.Sabia como funcionava e como se proporcionava, e anulava as emoções e sentimentos, mas nunca teve nenhum para ser anulado ou proporcionado.De fato era uma aprendizagem nova para ele sentir o toque mortal em seu corpo.A mulher podia sentir toda a perfeição de seu corpo enquanto passava a mão em suas costas, seu físico era forte, porém nada extravagante, algo mais comum e padronizado]

Não tenho interesse em força, poder ou qualquer coisa parecida, pois sei que nada se compara a minha existência.O que qualquer um nessa existência pode fazer, é graças a mim. - Diz de forma tranquila


[Suas palavras não eram soberbas nem arrogantes, eram apenas verdades, afinal ele e seu irmão simbolizavam todo o inicio da criação, o nada e o vazio, forças primordiais indecifráveis que a partir deles surgira toda a existência atual.São como arquétipos de uma força Nemética infinita.Poder não lhe interessava, pois ele era o apse do poder.Zero buscava apenas entretenimento para sua "vida" , conhecimento e coisas que nunca havia presenciado ou passado, como estava agora, sentia algo, o calor mortal.Estranhamente o sistema de defesa do corpo do manipulador das esferas teriam apagado completamente a existência de qualquer um que tentasse toca-lo sem sua permissão porém não ocorreu ali, era como algo diferente, pois qualquer atitude hostil seria repelida instantaneamente, ou mesmo qualquer atitude mesmos sem ser hostil.Era como se seu poder não se manifestasse por que sabia que era algo que ele mesmo poderia se interessar em passar]

Por que está me tocando dessa forma? - Diz intrigado desviando o olhar para ela virando olhando em seus olhos

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #48: 31 de Julho, 2015, 20:32:24
0
0
    . Mediante a resposta dele ela sorriu divertida, um sorriso que chegou até seus olhos verde-água fazendo-os parecer como se houvessem jogado uma pedrinha no meio do lago e as ondas que formavam iam criando divertidas movimentações. Era exatamente o que esperava que ele respondesse.

      O sorriso se manteve enquanto o contato foi quebrado devido a movimentação de Zero. Seus braços e corpo se afastaram e quando ele finalmente estava de frente a ela pode notar como sua face estava, um sorriso delicado em seus lábios vermelhos que corriam pelos olhos, expressão e corpo, ela por completo estava tranquila, sua mente, seu estado de espirito e tudo nela parecia o mais calmo templo budista. Entretanto não se afastou muito mais do que o necessário para ele se virara-se, o que a obrigava a olhar para cima erguendo um pouco o rosto para conseguir ainda manter o contato visual . Por que ? . Ela repetiu a pergunta curiosa, pra dizer a verdade não tinha pensado naquilo, suas ações, seus pensamentos sobre aquilo não havia passado por sua mente, exatamente nada... Apenas a vontade de fazer. E aquela curiosidade nele de porque ela o fazia... Chegava a ser divertida . Não sei . Admitiu, já havia entendido que ele não era uma pessoa que se dava para esconder os pensamentos . O incomoda? . Questiona deixando a dúvida pairar em seus olhos, por que ele havia perguntado aquilo? Talvez fosse tão vazio quanto a falta de obres em seu rosto . Dizem... Que quando se toca uma pessoa, se pode sentir exatamente o que ela pensa, o que ela sente... Um abraço é o ato mais intimo que se poderia ter de contato simples. No meu caso, quando toco alguém com esses dedos... . Ela ergue a mão mostrando os indicadores cobertos pelos anéis . É como faço meu trabalho, eu descubro o desejo ideal da pessoa e crio a dimensão temporária para a realização dos sonhos dela... Claro que com você isso não iria funcionar . Ela complementa o olhando novamente. Segue a mão até a dele a guiando até seu rosto e o fazendo toca-la ali, ao sentir a mão fria ela deita o rosto na dele, mas logo segue, passa sua mão pelo próprio ombro. Na pele nua ele podia sentir as linhas das tatuagens que ali existiam, desceu pelo colo e passou pelo meio do tecido que lhe cobria o busto indo até onde a cintura dela era aberta, todo o caminho podia sentir na pele quente finos traços elevados que formavam os desenhos . Cada tatuagem dessa é uma dimensão, como já deve saber... Sempre que crio uma, eu tenho de guarda-la comigo, eu consigo criar, mas não consigo destruir... Não por falta de conseguir de fato... Mas por falta de vontade. Para mim, meu corpo é um templo, onde tudo que preciso esta guardado, toca-lo é como conhecer a mim melhor do que lendo minha mente e minha expressão . Ela diz por fim soltando a mão dele ainda sobre sua cintura seguindo a própria por seu braço e parando onde alcançava no ombro e logo abandonando o toque para então deixar o próprio descansar ao lado do corpo, seus olhos estavam fixos no dele como se fossem impossíveis de desviar .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #49: 31 de Julho, 2015, 21:12:12
0
0
Trace on!


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #50: 1 de Agosto, 2015, 19:15:45
0
0

Não me incomoda.....E o que você sentiu quando me tocou?Pode ver alguma coisa? - Dizia Calmamente

[Zero ouvia as palavras dela e a olhava nos olhos, sem deixar de encara-la uma vez sequer.Podia sentir seu corpo quente ao ser guiado, podia claramente sentir as tatuagens e o que elas significavam, e como eram feitas, era como se tudo simplesmente se desdobra-se na sua frente revelando todo o conhecimento sobre tal.Em seguida ele pega a mão dela da mesma forma que ela o fez, e começa a guia-lo da mesma forma, passando pelo seu peito despido indo até seu estomago ao lado da runa no seu corpo apoiando a mão dela em cima da runa negra em sue corpo.Podia sentir a definição de seus músculos como se fossem perfeitamente alinhados]


Tenho uma runa em meu corpo como pode ver, mas ela sela 90% dos meus poderes aqui nesse plano, pois meu corpo é pura essência corrosiva, deixar meu poder livre no seu plano é como abrir um buraco negro de proporções impossíveis.E poderia acabar com esse sistema solar.Por isso essa runa.

[Após isso ele solta a mão dela deixando-a ali mesmo caso queira ou não tirar.De fato achou o toque mortal algo interessante, apenas observava até onde a mulher iria com suas informações e toques acalorados.O corpo mortal sempre emana calor diferente do dele que não é vivo é apenas um arquétipo conceitua que sempre muda e nunca morre]


Seu corpo é interessante...




Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #51: 2 de Agosto, 2015, 15:16:25
0
0
    Pouco... Pude ver bem pouco... . Ela comenta sentindo entre as pontas dos dedos a runa a qual ele mencionou, suas obres verdes desviaram do rosto dele seguindo para onde sua mão tocava, o movimento fez os cabelos negros dela caírem por seu rosto tampando-o parcialmente. Ela passou a ponta dos dedos por aquela esfera seguindo o desenho da tatuagem que havia ali e novamente voltando para a esfera o que podia ver dali não era o que ele era... Mas talvez um pouco do que poderia acontecer se aquilo fosse forçado ou retirado . O que achou de interessante em meu corpo? Alem do fato de que estou viva . Finalmente falou depois de longos minutos retirando os dedos do local onde estavam e seguindo para os braços dele, por alguma razão seu corpo desejava manter algum contato com o gelo. Seus longos dedos seguiram até as mãos caídas dele, descendo a unha levemente pela palma e finalmente juntando as mãos encaixando dedo a dedo e selando-as daquela forma.

        Quando o ultimo dedo seu fechou a mão dele ergueu o rosto novamente o observando, estava curiosa por aquele total desconhecimento e parecia que não era a única . Toca-lo é interessante... diferente.


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #52: 2 de Agosto, 2015, 23:07:30
0
0



Seu corpo exala sedução uma caracterisca forte das Succubus, cujo o qual deve estar familiarizada não é? - Dizia diretamente


[Permanecia apenas acompanhando e aceitando o que ela fazia, nada parecia ser ameaça então seu corpo não reagiria de forma hostil e ele estava interessado para ver até onde ela iria, até onde aquilo iria dar.De fato era algo nunca experimentado por ele antes e nem para ela.Um ser como era único e complexo de ser compreendido, e tocado.Afinal mais parecia um morto vivo pela frieza não só de seu corpo como o de sua personalidade.E estar em contato com ela era como estar cercado pelo calor mortal, e o sentimentalismo, não que o afetasse tais "qualidades" mas estava começando a apreciar tais coisas aos poucos, parecia interessante tais conhecimentos a serem passados]

Posso sentir em sua mente e corpo.... - Diz calmamente olhando em seus olhos

[Zero via ela segurar sua mão e entrelaçarem os dedos, sabia do signifcado oculto por de tras das ações dela, podia sentir junto ao calor do corpo dela o desejo que nutria por ele.Um desejo cujo o qual poderia significar varias coisas]

O seu desejo de percorrer o desconhecido, de saber mais sobre mim e tentar me entender, creio que não é algo que sua alma poderá suportar.Mas vejo que mesmo assim ainda está aqui.Diga-me, o que a impede de fazer o que deseja? - Diz de forma séria edireta

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #53: 2 de Agosto, 2015, 23:47:20
0
0
    Sim, já estou familiarizada com elas... . Sua voz deixava um leve sorriso de diversão passar por seu tom, conhecia muito bem o poder de sedução de uma Succubus.

     Como tal e até o momento novamente estava ele ali, direto... Ela não pode deixar de manter o sorriso divertido com as ultimas palavras dele, os verdes percorriam pelo seu rosto assim como partes do corpo que conseguia alcançar descendo até a mão de ambos, ele não negava o contato mas também não o oferecia, já era algo mediante as atitudes posteriores que ele vinha tendo. Novamente a mulher voltou a levar os olhos para os dele mantendo-os ali firme, sua face estava calma e serena, ela não tinha dúvidas, não era alguém de se perguntar duas vezes alguma coisa, nem de meias palavras.

     Nunca havia passado por aquilo, não diferente daquela forma, na verdade por qualquer tipo de interesse que fosse aquele de fato, então era novo para ela tanto quanto para ele, a diferença era... Ela sabia o que era poder ter aquilo dentro de si, o ser na sua frente apenas conhecia a teoria e o que podia ler de suas reações, e isso a deixava mais curiosa . Se minha alma e meu corpo não puderem suportar... Estou certa de que você dará um jeito em ambas como mais convir . Ela diz ainda com aquele sorriso nos lábios vermelhos, um sorriso que chegava até os olhos dela diminuindo-os um pouco fazendo eles quase sumirem de vista . O que me impede.... No momento, é sua permissão. Suas defesas estão baixas até agora, mas vão continuar assim? Tenho certeza que já sabe o que é... Quero saber se tem interesse em conhecer mais isso . Ela o observava agora com o semblante divertido, os dentes pressionavam o lábio inferior com cuidado fazendo-os ficarem brancos onde o dente estava enquanto ela erguia a outra mão livre para alguns fios de cabelos dele, próxima a orelha, ainda estavam molhados mas podia sentir a textura sedosa deles. Seus dedos rasparam levemente na lateral do rosto esquerdo próxima a orelha .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #54: 3 de Agosto, 2015, 16:08:47
0
0


[Zero escutava as palavras dela e dava um pequeno sorriso.Parecia não só um simples sorriso em  questão do que se passava ali, mas parecia algo mais, parecia que pudesse ver tudo que iria ocorrer dali para frente, mas não só isso, Zero teve um relance de algo que ele poderia fazer.Ele então envergava seu corpo suavemente para frente levando sua cabeça ao lado da dela e deixando os lábios perto do ouvido dela]


Faça o que desejar, não se preocupe, quando achar necessário interferirei - Diz Sussurrando em seu ouvido

[Após isso Zero se afasta e volta a e ter sua expressão seria e fria, como se realmente tivesse não só algo em mente mas como também provocasse ela com suas palavras, desafios eram desafios não importa em que métodos, o manipulador das esferas não temia nada, não precisa se defender de nada, pois nada ameaçava sua integridade, apenas seu interesse estava em questão ali]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #55: 3 de Agosto, 2015, 17:01:13
0
0
    . Ouvindo-o terminar a frase seus dedos que já se encontravam em seus cabelos o seguraram um pouco impedindo que ele voltasse o corpo completamente para a posição que estava antes. Seus olhos encaravam os brancos dele como se pudesse realmente haver algo ali, era curioso como que a inexistência dele a atraia daquela forma, talvez justamente por isso... Por que ele não existia...

      Aquela expressão... Ah aquela expressão, ou a falta completa dela, foi a mesma que ele lhe deu quando se viram algumas horas antes dentro da igreja, antes de descobrir tanto, e isso a irritava ainda... Ao mesmo a intrigava mais do que qualquer coisa, e novamente ela estava fazendo aquilo, estava se deixando guiar pela sua curiosidade do desconhecido, foi o mesmo com Lilith, ajudou-a, mas não pode dizer que ela não havia feito nada por si.

      Mantinha os dedos entre os dele na mão esquerda, enquanto a sua direita segurava uma parte dos cabelos brancos e lhe tocava a nuca passando as pontas por ali. As obres verdes o observavam a cada toque que efetuava, a cada deslizar de unha pela pele gelada, esperar uma ação dele seria.... Dispensável, já tinha o que precisava, a curiosidade de Zero e sua vontade.

      Ela não precisou erguer o corpo para que seus rostos se mantivessem daquela forma próxima, ele já havia se curvado o suficiente para isso. Os narizes finos estavam quase a se tocar mas nada impedia que os olhos dela observassem cada canto daquela imensidão clara . Vamos então... . Ela pronuncia então ao final fazendo o calor de seu corpo ficar colado ao dele findando o espaço que ainda existia.

      Beijo, era o contato básico de maior aproximação, desejo, e começo de compartilhar algo... Mas em sua concepção, era o contato mais intimo que se podia ter. Os lábios dela eram quentes como o restante de seu corpo, mas pareciam mais quentes, e consideravelmente mais macio... Pressionou um pouco mais os dedos na nuca dele acidentalmente puxando um pouco os cabelos .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #56: 3 de Agosto, 2015, 18:13:01
0
0

[Zero acompanhava cada minucioso passo que ela dava, cada gesto, pensamento, e até mesmo podia sentir o palpitar do coração dela acelerar, diferente dele que não tinha um coração era como escutar batidas ao lado do vazio escuro e acalorado.Isso trazia lembranças, antigas e perdidas já na mente do manipulador das esferas, uma canção perdida através do espaço tempo,uma máscara, um olhar, e apenas um dever.Os desvaneio na mente de Zero naquele momento era algo singular, que despertara quando os lábios dela tocam nos dele, era como tocara neve, macia e gélida por instantes o mesmo ficava apenas sentindo a sensação e o toque dos lábios dela, mas como que instintivamente ele levava uma das mãos a nuca dela segurando firme e aprofundando mais seu beijo e seus corpos, com a outra mão ele a tomava pela cintura unindo seus corpos molhados pela chuva.Podia sentir o calor dela e todo o adorno de seu corpo era como uma parede de gelo se juntasse a mais fina ceda.]


......

[O toque, o calor e o silencio, apenas o uivo da noite "falava" ali, a chuva se despediu com um ritual benéfico de unificação, a noite agraciava o espetáculo da luz que banhava o corpo dos 2.O desalmado e a mortal.Uma canção noturna que soava como lira de fantasmas perdidos naquela catedral, orações mórbidas de uma droga nefasta experimentada pela sua mente.Zero segurava-a firme sem a machucar, mas sem a perder, como se segura-se uma rosa em beira ao penhasco do esquecimento.Sensações agora sentidas, e emoções passadas, podia etender o que é ser um mortal agora...]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #57: 3 de Agosto, 2015, 19:45:42
0
0
    . Seus pensamentos foram varridos para longe no momento que sentiu o toque dele em seu corpo, o abandonar de sua mão e a presença das dele por sobre sua pele quente. O choque do frio momentâneo a fez arrepiar e tremer mas logo ela sentiu o próprio calor aumentar, é como se seu corpo já estivesse acostumado a produzir calor para esquentar ambos os corpos.

      A mão agora livre subiu pelo peito dele indo para o ombro e fechando em seu pescoço juntamente com a anterior mantendo os corpos juntos, seus lábios entreabriram permitindo que ele aprofundasse mais o contato, que sentisse mais do que era tudo aquilo. O que quer que ele lhe tocasse ficava frio... Mas logo era superaquecido, o gelo que ele proporcionava, o que ele era... Não incomodava, era como se ela se adaptasse a aquilo imediatamente, apenas para poder continuar . ...


     . A morena pressionou um pouco mais o corpo ao dele, uma de suas mãos foi a caminho da nuca dele, ela era mortal... Seu pulmão logo iria arder em pedido de ar, e por isso pressionou os dedos ali, ter forças a continuar, não era de sua vontade romper o contato com ele, tudo parecia esta se ajeitando, sabia que tudo que ela pesava, sentia e percebia eram passados para ele por aquele total contato, mas não se incomodava, não era de seu jeito mentir ou enganar alguém, era diferente dele e de seu próprio Irmão... Ela não brincava com os outros, não daquela forma. E ele podia ler isso em seus gestos e movimentos .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #58: 6 de Agosto, 2015, 00:44:31
0
0

-A nova face do tempo


[Zero permanecia beijando-a de forma intensa, abraçando seu corpo com uma das mãos e segurando sua nuca com a outra, quando percebeu que a mesma entrelaçava seus braços sobre seu pescoço, ele então soltava sua nuca e colocava ambas as mãos na cintura dela suavemente por debaixo da camisa dela sentindo a pele da mesma.Sua mão ia subindo na mesma medida suavemente até chegar a um pouco a baixo dos seios dela não os tocando mas estando perto deles, depois fazia o mesmo movimento novamente para baixo voltando a cintura arranhando de leve a pele dela sem machuca-la.Estranhamente ele parecia saber bem o que estava fazendo, como um novo conhecimento que surgiu em sua mente naquele momento.]

...


[Nesse instante a pele de Zero começava a se tornar menos palida, e o frio de seu corpo sumia aos poucos deixando que sua pele tomasse calor normal de um mortal, era como se estivesse vivo.Seu cabelo se tornava negro aos poucos até ficar totalmente negro.Seus olhos agora retinham uma iris azul clara como uma estrela no céu da manha]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #59: 7 de Agosto, 2015, 15:48:42
0
0
    . Seu corpo respondia automaticamente como se já conhecesse os toques que ele lhe causava. Seus lábios pressionados naquele conjunto perfeito dos dois. Mas a mudança da temperatura corporal de Zero a fez interromper o contato os lábios quentes e abrir os olhos para encarar aquela mudança completa. Os olhos verdes agora olhavam com cuidado aquela iris azul que a observava, o cabelos pratas que estavam entre seus dedos assumiram uma coloração totalmente oposta, e essa tinha agora a total atenção de seus olhos.

      Mas a maior mudança foi na temperatura, seus braços ainda o seguravam junto a si e podia sentir o calor que o corpo dele emanava daquela pele que agora quase se equiparava a sua de cor e temperatura . O que aconteceu? . Sua voz estava baixa, estavam tão próximos que ela não precisava falar mais do que um sussurro, alem do que seus lábios se encontravam entre-abertos para puxar o ar que havia começado a lhe faltar nos pulmões.

      Os dedos finos da mulher subiram de seu pescoço a rosto deslizando a ponta dos dedos e unhas com cuidado até alcançar a lateral do rosto próximo a orelha sentindo melhor os fios de cabelo. O que havia mudado nele ?


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #60: 12 de Agosto, 2015, 03:32:39
0
0

[Zero podia sentir seu corpo modificando aos poucos, era algo que ele mesmo quis fazer para ficar proporcional ao calor humano, mas nada mudara exatamente, apenas o calor do seu corpo e a cor do seus olhos e cabelo que agora eram diferentes.Zero é a face do poder universal, tanto poder que as pigmentações de seu corpo fisico eram em niveis extremos, e isso fazia o branco e o gelo tomar conta da sua essência corporal.Agora que teve um contato fisico com um mortal achou interessante modificar seu corpo para parecer mais "vivo", mais "humano" e aquela modificação era perfeita para ele, pois era de seu grado.Zero poderia transformar seu corpo novamente para o estado anterior, mas ele não desejava, não ainda.]

Nada aconteceu, apenas me adaptei a você - Dizia olhando em seus olhos calmamente

[De fato ele ainda não tinha uma alma, e muito menos um coração, mas fora isso seu corpo era praticamente igual a de um humano, tirando a necessidade mundanas como fome e afins e os pontos vitais]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #61: 19 de Agosto, 2015, 20:07:14
0
0
* Círculo mágico aparece nas ruínas. *


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #62: 20 de Agosto, 2015, 17:17:18
0
0
    . Ela o observava com cuidado, seus olhos verdes corriam a face dele tanto como seu corpo, ou o que podia ver dele devida a tamanha aproximação que ainda mantinham. Ela repousava as mãos calmamente sobre o peito dele, realmente não se podia sentir nada batendo ali, ele era vazio. No que havia se metido? Iria descobrir em breve .


     . Suas ires verdes voltavam a atenção a face dele, era exatamente a mesma pessoa, mas ao mesmo tempo não parecia a mesma pessoa, não o via com os mesmos olhos agora e sim com todo o conhecimento que havia ganho naquelas poucas horas. Iria sentir falta do frio dele . Entendo. Então você é realmente capaz de tudo... . Ela o observa curiosa, parecia que o que podia aprender dele nunca iria acabar, ou iria... Se um dia ele cansasse de bancar o humano. Ela não tinha medo de que aquilo pudesse acontecer, não temia ele, apesar de que seu sub-consciente lhe dizia que deveria temer .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #63: 20 de Agosto, 2015, 19:33:36
0
0
* O brilho da lua percorre o cenário *


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #64: 24 de Agosto, 2015, 03:01:46
0
0
Acredite, nada mudou, apenas o quesito deu ter a mesma temperatura corporal que vocês mortais, de resto continuo sendo o mesmo.Não se espante e nem por um segundo pense que algo mudou.

[Zero então segurava as duas mãos dela que se encontravam ja perto dele e a segurava suavemente.Seu olhar era frio como de sempre e sua face misteriosa, o que será que iria fazer agora que aquele momento parou?De fato pode sentir algo diferente que os mortais sentem e cujo o qual ele nunca havia sentido, o calor mortal e o que tanto chamam de beijo.Mas o que lhe fazia pensar é...Por que ela fez isso?Apesar de ter isso em mente ele não diria aquilo naquele momento]

Existe um local aqui cujo o qual quero que conheça.Eu criei esse lugar para minhas passagens pela terra, e creio que a essa altura já deva estar bem diferente desde a ultima vez que vi aquele local.Quer me acompanhar?

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #65: 24 de Agosto, 2015, 03:29:59
0
0
*saindo de um buraco no chão*

E ai velinhos? 
(~.~) Eu sei do seu secreto!

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #66: 29 de Agosto, 2015, 14:06:24
0
0
    . Catherine o observou por algum momento e sentia suas mãos entre as dele, realmente a temperatura agora era agradavel e sem arrepios de frio... Mas tinha de admitir acharia estranho sempre que o corpo dele permanecesse na mesma temperatura que a sua. Ouvindo o pedido dele ela sorriu de forma comum deixando os lábios se curvarem para ambos os lados . Sim... . Respondeu simplesmente ao pedido dele, os cabelos negros dela balançavam com o vento agora suave e calmo que passava, não estava mais frio como com a chuva ou pouco depois dela, e agora não tocava mais a Neve em si, estava mais agradável .

    . Mas por que ? Porque havia se aproximado dele daquela forma, e trocado tantos toques de afeto humano com um ser que não podia sentir? Não... Seria estupides sua se perguntar isso se ela já sabia muito bem a própria resposta... Mas não era algo que iria dizer agora, não era algo que tinha lógica, e não era algo que ele precisava saber no momento . Acho que já entendeu, que enquanto minha alma humana existir, eu iria acompanha-lo em meu desejo de conhecer tudo além disso aqui que vivemos... . Ela comentou por fim soltando uma mão da dele e passando por seu rosto de forma carinhosa e suave, tocando apenas as pontas dos dedos pela extensão fina de sua face. Aproximou o rosto um pouco e selou os lábios de forma suave para então afastar e voltar a sua posição normal .


   

A Jasmy passou por aqui. 8D

Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #67: 30 de Agosto, 2015, 20:30:53
0
0
*saindo de um buraco no chão*

E ai velinhos? 

* Oi prefeito  *


Re: Ruínas da Sétima Igreja
Resposta #68: 31 de Agosto, 2015, 17:58:35
0
0
[Zero apenas sorri suavemente, em seguida uma energia negra cobre seu corpo e o dela em meio ao beijo e ambos somem do local como se tragado pelas trevas]

Oh! passageiras alegrias
do Éden compradas por desgraças
tão duráveis!

Deus Criador,
pedi-te porventura
Que do meu barro
me fizesses homem?


 

Alerta: este tópico não recebe novas mensagens há pelo menos 400 dias.
A não ser que você esteja certo que quer responder, por favor, considere criar um novo tópico.

Observação: Este post não será exibido enquanto não for aprovado por um moderador.
Nome: E-mail:
Verificação:
Qual a cor do papel abaixo?
: